Tite se concentra no ataque corintiano

A reta final do Campeonato Brasileiro será uma espécie de Copa do Mundo para o Corinthians. Tite encara os últimos 10 jogos como se fosse uma competição à parte, de tiro curto. A esperança do treinador é a de que a performance seja muito melhor que os resultados alcançados nos 36 jogos que fez até agora - 14 vitórias, 12 empates e 10 derrotas. A saída foi mudar a logística de trabalho, reprogramar a prioridade."A primeira etapa do nosso trabalho foi acertar a marcação porque a situação exigia", explicou Tite. "Tínhamos de fugir da ameaça do rebaixamento. Agora é diferente. O que todo corintiano quer é ficar entre os quatro primeiros e voltar à Libertadores. Vamos ter de investir bem mais no ataque."O desafio é tornar o ataque eficiente. A média de gols do Corinthians é extremamente baixa: 1 por jogo. Para mudar o quadro, Tite admite até mudar o esquema já a partir do jogo contra o Paraná, domingo, às 18 horas, em Curitiba. "Vou tentar de tudo. Se for preciso, jogo com três atacantes, com dois meias, posso até mudar o esquema tático", avisou o treinador.As experiências com o ataque deveriam ter começado nesta quarta-feira. Mas ficaram comprometidas com alguns imprevistos: Alessandro acusou uma contratura no músculo adutor da coxa e está fora do jogo de domingo. E Jô sentiu um mal-estar no treino. Foi substituído por Marcelo Ramos.Tudo isso acabou comprometendo os planos do treinador. As experiências, no entanto, devem prosseguir até o treino de sábado. O time titular desta quarta-feira começou com Fábio Costa; Betão, Valdson e Ânderson; Edson, Wendell, Fabinho, Fábio Baiano e Renato; Jô e Gil. Sem Alessandro, e com a perda de Jô em meio ao coletivo, Tite colocou Marcelo Ramos no ataque na parte final do treino. E também testou Coelho no lugar de Edson.Apesar dos desfalques no treino, o médico Paulo Faria deu boas notícias: Alessandro tem alguma chance de ser liberado para o jogo seguinte, quarta-feira, em Criciúma. E Alberto, que sofreu luxação no ombro direito no jogo passado, contra o Coritiba, também pode ser liberado para a partida contra o Criciúma.Quanto a Jô, o atacante foi medicado após o treino e liberado em seguida. Nesta quinta-feira, deve participar normalmente dos treinamentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.