AP/Eugene Hoshiko
AP/Eugene Hoshiko

Tite reprova amistosos na véspera de Copa e avisa que grupo não está fechado ainda

Comandante da seleção brasileira diz que não quer aumentar risco de lesão de seus atletas nas proximidades do torneio

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

05 de junho de 2022 | 13h43

O técnico Tite afirmou neste domingo que é contra marcar amistoso da seleção brasileira às vésperas da Copa do Mundo deste ano, marcada para novembro e dezembro. O treinador acredita que o risco de lesões é maior do que os possíveis benefícios numa partida eventualmente marcada para cinco dias antes da abertura do Mundial.

"Eu disse: cinco dias antes da Copa vamos fazer amistoso e eles (ex-jogadores) me olharam e foram indo para trás. O risco de lesão supera o benefício técnico e tático quando é muito próximo. Se é pra ser, tem que ser nove ou dez dias antes, por exemplo, como o jogo que o Peru vai fazer. Muito próximo, a cabeça não funciona, e quando não funciona, o corpo não funciona. Para mim, a resposta é não

Após golear a Coreia do Sul por 5 a 1, na quinta-feira, o Brasil fará amistoso com Japão nesta segunda-feira, às 7h20, pelo horário de Brasília. Depois desta Data Fifa, a seleção deve fazer mais dois amistosos em setembro. Havia ainda a possibilidade de um amistoso ser realizado a uma semana da Copa, em novembro.

Para os jogos de setembro, está agendada apenas a partida com a Argentina, no dia 21, no famoso "Clássico da Anvisa". Trata-se daquele jogo interrompido logo aos 5 minutos, quando agentes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária entraram no gramado da Neo Química Arena, em São Paulo, por conta da entrada irregular de alguns jogadores argentinos no País.

A partida era válida pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo. E, de acordo com a Fifa, ainda precisará ser disputado, embora não vá interferir na tabela final da competição, que terminou com o Brasil em primeiro e a Argentina, em segundo. A CBF ainda deve definir mais um adversário para o Brasil em setembro.

Estes dois amistosos serão a última chance para os jogadores que ainda sonham em defender a seleção na Copa do Catar. Também neste domingo, Tite garantiu que o grupo ainda está aberto, tanto para a lista final de possíveis 26 convocados (a Fifa ainda não oficializou a ampliação da relação) quando para os 11 titulares.

"Ainda não tenho escalação, a equipe está aberta, não só a convocação final, mas a equipe titular está aberta também. Os níveis apresentados pelos atletas deixam a comissão com a cabeça... boa", disse Tite, bem-humorado sobre a possível "dor de cabeça" ao definir os convocados na lista final. "Pelo desempenho bom e pela competitividade de cada um... Talvez nos último estágio, nos últimos jogos e treinamentos, buscaremos a sintonia fina, mas estamos numa fase anterior a essa ainda."

Tite citou Renan Lodi, Arthur, Gerson, entre outros, para confirmar que segue monitorando jogadores para a convocação final, ainda sem data certa para acontecer. "Não esquecemos o Renan Lodi, não esquecemos o Arthur, não esquecemos Gerson, não. Tem cinco meses até a Copa. A gente não esqueceu o Firmino, o Douglas Luiz, o Emerson, o Lucas Veríssimo, o Rodrigo Caio. O trabalho de bastidor lá fora (continua), temos que estar ligados para estes 45, 50 jogadores", declarou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.