Benjamin Cremel/AFP
Benjamin Cremel/AFP

Tite se diz mais tranquilo com desempenho do Brasil e vê seleção em crescimento

Técnico admite ter o desafio de se manter equilibrado durante o andamento da Copa do Mundo

Ciro Campos, enviado especial / Kazan, O Estado de S.Paulo

05 Julho 2018 | 12h17

Um Tite mais tranquilo, sorridente e confiante em plena Copa do Mundo. O técnico da seleção brasileira afirmou nesta quinta-feira em Kazan, na Rússia, estar mais calmo agora, na véspera das quartas de final contra a Bélgica, do que antes da estreia contra a Suíça, em Rostov, por se sentir mais à vontade no Mundial e confiante no crescente rendimento da equipe dentro de campo.

+ Tite confirma volta de Marcelo contra a Bélgica

+ Miranda elogia seleção belga e avisa: 'Não é só o Lukaku'

+ Preocupação com pênaltis pode ser decisiva para o Brasil no Mundial

"É um desafio diário que tenho para comigo mesmo, de equilíbrio e discernimento. Enquanto pessoa, técnico, comissão. Eu me elaboro, me preparo. No primeiro jogo era a primeira vez. Eu tinha vivenciado o Mundial da Fifa, mas com seleção é outra dimensão", admitiu o treinador.

A seleção brasileira começou a sua campanha com um empate por 1 a 1 com a Suíça e depois emendou uma sequência de três vitórias pelo placar de 2 a 0 (sobre Costa Rica e Sérvia, na fase de grupos, e México, pelas oitavas de final). Depois de todos estes jogos, o técnico disse ter notado evolução em comparação à atuação anterior.

Tite afirmou que, mesmo antes do complicado jogo de quartas de final contra a Bélgica, marcado para começar às 15 horas (de Brasília) desta sexta-feira, se sente mais cômodo no cargo. "Nos últimos dias eu mesmo me perguntei o motivo de alguma forma estar mais à vontade. É que o desempenho dos atletas aconteceu. Isso me gera confiança", comentou o comandante em entrevista coletiva na Arena Kazan.

 

Segundo o treinador, mesmo contente com o rendimento da equipe, ele espera atuação ainda melhor contra a Bélgica. "O que busco, enquanto ideia, e desafio aos atletas, é fazer o nível crescer. Manter e crescer. Ficar com a sensação de ter feito o teu máximo. Agora, se isso será suficiente para vencer ainda não sei, porque do outro lado tem qualidade também", afirmou.

A seleção terá em campo uma escalação com duas mudanças em comparação ao time usado na segunda-feira, na vitória sobre os mexicanos. Recuperado de um problema nas costas, o lateral-esquerdo Marcelo volta na vaga de Filipe Luís e o volante Fernandinho substitui Casemiro, suspenso pelo segundo cartão amarelo.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.