Clayton de Souza/AE
Clayton de Souza/AE

Tite se orgulha por ter 5 corintianos no Superclássico

Cássio, Fábio Santos, Ralf, Paulinho foram convocados por Mano Menezes; Martínez atuará pelo lado argentino

CIRO CAMPOS, Agência Estado

19 de setembro de 2012 | 12h38

SÃO PAULO - O treinador do Corinthians, Tite, disse estar orgulho por ter cinco atletas do clube convocados para o primeiro jogo do Superclássico das Américas nesta quarta-feira, entre Brasil e Argentina, em Goiânia. Pelo técnico Mano Menezes foram chamados Cássio, Fábio Santos, Ralf, Paulinho e por Alejandro Sabella, o argentino Martinez também foi listado para o confronto.

"Como treinador do Corinthians, queria que todo mundo estivesse aqui para treinarmos. Mas de certa forma estou feliz pelas convocações, porque elas mostram como nosso trabalho foi realizado", afirmou Tite, que também lembrou ter trabalhado com outro convocado, o volante argentino Guiñazu, que foi dirigido por ele no Internacional.

Nesta quarta-feira o Corinthians realizou apenas um trabalho físico pela manhã. À tarde os jogadores vão trabalhar a parte tática. A grande dúvida do treinador para o jogo de domingo, contra o Botafogo, no Engenhão, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro, são os substitutos de Fábio Santos e Danilo, ambos suspensos.

Tite reiterou que o objetivo do Corinthians nesse momento é chegar o mais rápido possível aos pontos que lhe garantem a permanência na elite do futebol brasileiro com a intenção de intensificar a preparação da equipe para a disputa do Mundial de Clubes.

"Chegando a 42 ou 45 pontos, que é a zona de segurança, poderemos trabalhar individualmente com os atletas, para que cheguem ao Mundial em boas condições físicas. Mas esse trabalho individual só será viável se conseguirmos os 45 pontos. Precisamos chegar logo à zona de segurança, senão não haverá essa folga", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansTiteSuperclassico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.