Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Tite vai se tornar o 'Rei da América' com conquista da Copa América

Se a seleção garantir a taça, treinador será o primeiro na história a ganhar todos os títulos possíveis no continente

Ciro Campos, enviado especial, e Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2019 | 04h30

A final da Copa América no Maracanã pode alçar Tite a um patamar jamais alcançado por qualquer treinador no futebol sul-americano. Se a seleção brasileira derrotar o Peru e garantir a taça, ele vai se tornar o primeiro técnico da história a ter vencido todas as principais competições do continente, seja entre clubes ou entre seleções.

O gaúcho de 58 anos já tem no currículo as três conquistas possíveis entre os times do continente. A primeira delas foi em 2008, ao levar o Internacional ao título da Copa Sul-Americana. Anos mais tarde, Tite ganhou a sua segunda taça continental na histórica campanha do Corinthians na Copa Libertadores de 2012. A coleção aumentou na temporada seguinte, quando ele fez o clube alvinegro ser campeão de novo, dessa vez da Recopa sul-americana. 

Agora é a vez de Tite ir em busca de uma taça entre seleções para se tornar uma espécie de “Rei da América”. O treinador está há três anos no comando do Brasil, soma apenas duas derrotas em 42 jogos e se apega justamente na confiança dos resultados no comando de clubes para conseguir ser campeão também à frente do Brasil.

A competição dentro de casa é apenas a segunda tentativa de Tite de buscar uma taça pela seleção. Como as Eliminatórias não valem título e na Copa do Mundo o Brasil foi eliminado nas quartas de final, o torneio continental vale mais do que o recorde, mas também um item importante para a afirmação dele no cargo.

Ainda no início da Copa América, o treinador disse considerar o torneio parecido com a Libertadores, por ter características similares de regulamento e estilo de jogo. “Para ganhar tem de jogar bola. Foi essa lição que aprendi na Libertadores. Não é catimba ou querer ser mais macho do que o outro. Não tem inimigo, tem adversário”, comentou.

Tite quer, portanto, olhar para o Maracanã e se lembrar das noites de Libertadores do Corinthians no estádio do Pacaembu para se inspirar e resgatar o espírito copeiro. 

Multicampeões. Em mais de cem anos de Copa América e de 60 anos de Libertadores, apenas quatro treinadores tiveram a honra de serem campeões desses dois torneios na carreira. Nenhum deles é brasileiro. 

O primeiro a conseguir as duas taças foi o uruguaio Hugo Bagnulo, campeão pelo país na Copa América de 1956 e treinador do Peñarol no título da Libertadores de 1982.

Anos depois foi a vez de um compatriota de Bagnulo repetir a dobradinha. Roberto Fleitas venceu a Copa América em 1987 e no ano seguinte, com o Nacional, faturou a Libertadores. O atual técnico do Uruguai, Óscar Tabárez, também integra a lista, pois venceu a Copa América com o país em 2011 e levantou a taça da Libertadores pelo Peñarol em 1987.

O outro treinador a ter essa honra foi o colombiano Francisco Maturana. No comando do Atlético Nacional, de Medellín, ganhou a Libertadores de 1989. A taça da Copa América veio mais tarde, em 2001, quando a Colômbia sediou e venceu o torneio de forma invicta.

TÍTULOS DE TITE

Sul-Americana-2008

No comando do Inter, Tite vence a decisão com o Estudiantes La Plata. Ganhou no primeiro jogo, na Argentina, e na volta, após derrota do tempo normal no Beira-Rio, Nilmar marcou na prorrogação para garantir o título

Libertadores-2012

Obsessão do Corinthians por muitos anos, finalmente a Copa Libertadores se transformou em realidade. O time fez uma campanha invicta e encerrou com vitória por 2 a 0 sobre o Boca Juniors em um Pacaembu lotado. Emerson Sheik marcou os dois gols.

Recopa Sul-Americana-2013

Novamente no Pacaembu, o Corinthians de Tite venceu outra competição, a Recopa Sul-Americana. Diante do São Paulo, o time ganhou fora de casa, no Morumbi, por 2 a 1, e como mandante, quando fez 2 a 0.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.