Tite vê méritos do Paysandu em Belém

O treinador Tite, ainda nos vestiários, parecia não acreditar que o Corinthians perdeu a partida nos últimos oito minutos. "Estivemos melhor nos dois tempos, mas deixamos escapar um resultado que estava nas nossas mãos", dizia aos jornalistas.Ele não soube explicar o "branco" que deu no time nos minutos finais da partida, preferindo atribuir o resultado ao crescimento do adversário em campo e a pressão da torcida, sobretudo após o gol de empate. "As entradas de Hernani e Zé Augusto, dois jogadores de força no Paysandu, na opinião de Tite, deram maior agressividade ao time paraense, que se aproveitou do cansaço da zaga corintiana para arriscar mais chutes ao gol nas jogadas próximas à área.A ordem para segurar o placar que lhe era favorável, observa, não foi uma estratégia errônea. E preferiu creditar o resultado aos "méritos" do Paysandu. "Não existe, neste campeonato, a história do dominador e do dominado o tempo todo. Se não deu para vencer, paciência. Agora, é procurar reunir o elenco e partir para um resultado melhor contra o Grêmio".Para Fábio Baiano, que saiu por cansaço, o resultado foi "injusto". O que faltou? Resposta: "tranqüilidade, principalmente na retenção da bola". Ele entende que o Paysandu melhorou após as mexidas, mas o Corinthians, ainda assim, não soube administrar o resultado quando o placar lhe era favorável. "O meia Renato vê a derrota por outro ângulo. Acha que o time não soube valorizar a posse da bola. "O jogo estava com a gente, mas deixamos escapar a vitória que parecia certa".Treino - Chateado, o goleiro Fábio Costa evitou apontar culpados pelo mau resultado. Preferiu ser econômico nas palavras. "Hoje não foi o nosso dia". O embarque da delegação para São Paulo deve ocorrer no começo da tarde desta quinta-feira. A equipe deve passar por revisão médica e realizar um treino leve.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.