José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Tite vibra com vitória, mas lamenta cartões vermelhos

Corinthians pode perder por 3 a 0 em Manizales, na Colômbia, que garante classificação para fase de grupos da Libertadores

Raphael Ramos, O Estado de S. Paulo

05 de fevereiro de 2015 | 07h00

Mesmo após a goleada por 4 a 0 sobre o Once Caldas nesta quarta-feira, pela pré-Libertadores, Tite não vê o Corinthians já garantida na fase de grupo do torneio. No jogo de volta, na próxima quarta-feira, em Manizales, na Colômbia, o Alvinegro pode perder por até 3 a 0 que estará classificado. Caso marque um gol, a equipe pode sofrer cinco.

"A vantagem é grande, mas ainda não há uma definição de classificação. A vantagem é considerável, mas não garante a vaga", insistiu o treinador.

Tite elogiou muito a atuação da equipe diante dos colombianos e só lamentou os cartões vermelhos recebidos por Guerrero e Fábio Santos (ambos não poderão atuar no jogo de volta). "O jogo seria ótimo se não fosse as duas expulsões", afirmou. "O lance do Fábio Santos é de interpretação. Talvez um amarelo estivesse bom. Ele não foi para arrebentar o adversário. O lance do Guerrero eu não vi, então não adianta comentar."

No intervalo, além de acertar o posicionamento da equipe ao adiantar Renato Augusto, o treinador revelou que também pediu aos atletas que se dedicassem um pouco mais para compensar a ausência de Guerrero, expulso aos 26 minutos do primeiro tempo. "Copiei o Vanderlei Luxemburgo, que deu uma entrevista quando um jogador dele foi expulso. Falei para o pessoal pegar os 100% do Guerrero e distribuir 10% para cada jogador", disse.

O Corinthians volta a campo no domingo, quando enfrenta o Palmeiras pela primeira vez na nova casa do adversário, pelo Campeonato Paulista. Tite ainda não definiu a equipe que levará a campo, mas deve mesclar titulares e reservas. Na madrugada de segunda-feira, a delegação viaja para a Colômbia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.