Andreu Dalmau/EFE
Andreu Dalmau/EFE

Tito Vilanova deixa o Barcelona

Treinador, que sofre com câncer, é afastado em definitivo do time para tratar de sua saúde

O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2013 | 14h02

SÃO PAULO - O Barcelona está atrás de técnico. Na manhã desta sexta-feira, os homens mais fortes do clube catalão, Sandro Rosell e Andoni Zubizarreta, anunciaram que Tito Vilanova não será mais o treinador do time nesta temporada. E o problema é o pior possível para todos no clube. Tito teve uma recaída de sua doença (câncer) e passará a cuidar exclusivamente de sua saúde a partir de agora, com o acompanhamento do Barcelona.

Tito Vilanova acusou sua primeira derrota depois que teve o câncer diagnosticado em dezembro do ano passado, quando deixou o comando da equipe para um tratamento nos Estados Unidos. Recentemente, o treinador comentou ter ficado magoado porque não recebeu a visita de alguns amigos na quele período, entre eles seu antecessor no cargo, Pep Guardiola. O técnico retomou seu trabalho no fim da temporada passada e fazia planos de recomeçar mais confiante.

O presidente do Barcelona dará ainda hoje mais detalhes de quem comandará o time nesta temporada. Parte do elenco já está reunido para a pré-temporada, entre eles o argentino Lionel Messi. Os jogadores da seleção espanhola e Neymar, a nova contratação do clube, só se apresentarão dia 29. Eles ganharam alguns dias a mais por causa da Copa das Confederações. 

Resell também anunciou que o amistoso que o time faria na Polônia neste sábado foi cancelado. "Nos reunimos com os jogadores no vestiário e decidimos juntos que não faríamos mais a partida na Polônia, porque não há ânimo para isso nesse momento." O dirigente tentou confortos a todos do Barcelona. "Tenho de dizer que a vida segue, que o Barcelona já recebeu muitos golpes e sempre resistiu a todos eles."

HISTÓRICO

Vilanova foi diagnosticado com câncer na glândula parótida em novembro de 2011 e passou por uma cirurgia de quase dez horas para a retirada do tumor. Após superar a doença num primeiro momento, ganhou aval médico para continuar seu trabalho à beira do gramado no Barcelona, onde ainda era auxiliar de Pep Guardiola. O médico do clube catalão, Ricard Pruna, chegou a dizer que via o comandante como "curado" do câncer.

No entanto, pouco mais de um ano depois, Vilanova foi submetido a exames que detectaram o reaparecimento do tumor, que, segundo ele, antes era "em lugar diferente e mais fácil de tratar". Após uma nova cirurgia no fim de 2012, o treinador recebeu alta e, novamente, havia a certeza de que estava curado. Mesmo assim, Vilanova foi para os Estados Unidos, onde passou três meses em Nova York realizando tratamentos. Na época, foi substituído por seu auxiliar, Jordi Roura. O treinador retornou ao trabalho, mas a doença voltou a atacá-lo e, desta vez, optou por afastar-se do futebol.

Tudo o que sabemos sobre:
FutinterTito VilanovaBarcelona

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.