Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Título brasileiro garante cofres cheios ao Corinthians

Taça faz com que clube interrompa queda nas receitas

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

24 de novembro de 2015 | 07h00

O hexacampeonato brasileiro fará o Corinthians interromper uma sequência de queda na arrecadação que se prolongava desde 2013 e que provocou aumento das dívidas do clube. O orçamento do ano ainda não está fechado, mas a diretoria já tem certeza de que as receitas serão maiores do que em 2014, recolocando o Parque São Jorge na rota do crescimento econômico vivenciado entre 2009 e 2012.

Apesar de o clube continuar operando no vermelho, o déficit de 2015 será menor do que o dos anos anteriores. Para 2016, a previsão é contratar pelo menos um jogador de renome para a Libertadores e conseguir fechar o ano no azul.

“Estamos conseguindo melhorar as receitas. Ainda não é o número que a gente gostaria de ter, mas, sem dúvida, será melhor do que 2014. Isso vai nos ajudar a manter o time competitivo. Não é intenção da diretoria vender jogador para fazer caixa e ainda temos a previsão de investir um valor significativo em busca de reforços”, disse ao Estado o diretor financeiro Emerson Piovesan.

O último balancete apresentado aos conselheiros é do dia 31 de agosto. Os oito primeiros meses do ano já indicavam aumento das receitas. Em comparação com o mesmo período do ano anterior, o acréscimo foi de R$ 34 milhões. Em 2014, a arrecadação até 31 de agosto foi de R$ 167,4 milhões. Este ano, já estava em R$ 201,4 milhões. A previsão é fechar o ano perto de R$ 300 milhões.

Torcida. Entre os principais itens para o aumento das receitas está o programa Fiel Torcedor. Com a boa fase da equipe, o clube viu o número de sócios-torcedores explodir este ano.

Somente com mensalidades, o Corinthians arrecadou, de acordo com o último balancete, R$ 13 milhões. No ano passado, o montante foi três vezes menor: R$ 4,2 milhões.

Esses valores se referem exclusivamente aos pagamentos que os torcedores têm de fazer para participar do programa. Todo o valor arrecadado com a venda de ingressos não entra na contabilidade do clube e vai direto para um fundo responsável por pagar os financiamentos feitos durante as obras do Itaquerão. Este ano, a venda de bilhetes na arena já superou a marca de R$ 70 milhões.

No embalo do boa fase da equipe, a diretoria já planeja novo aumento de receitas para 2016. A expectativa é que o clube retome o patamar de 2013. A Libertadores é a grande vitrine.

“A Libertadores é um torneio que permite a exploração da marca para trazer novos parceiros comerciais e garante receitas importantes para o clube. Contamos com isso e também com maiores valores da cota de TV. Nosso planejamento é para fechar o ano de 2016 no azul”, afirmou Piovesan.

O Corinthians receberá pelo título brasileiro um prêmio da CBF de R$ 10 milhões que será pago pela TV Globo, emissora detentora dos direitos de transmissão do campeonato. A maior parte do dinheiro será usada para quitar o bicho dos jogadores e da comissão técnica pela conquista. A divisão será proporcional ao número de jogos que cada atleta disputou. O goleiro Cássio, com 34 partidas, é quem mais vai receber no elenco.

A diretoria, no entanto, também pretende usar uma porcentagem desta verba para ajudar no fluxo de caixa do clube. “Uma premiação desse tipo sempre ajuda. É uma remuneração interessante que será usada não só para pagar os jogadores, mas também temos de pensar nas finanças do clube. Vamos distribuir esse valor como um todo”, avisou Piovesan.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolCorinthiansBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.