Título deve melhorar finanças do time

Vitorioso dentro de campo, o Flamengo luta para conseguir o mesmo sucesso ao tentar equilibrar as suas contas. Pouco antes da primeira partida da final da Copa dos Campeões, a diretoria do clube pagou dois meses de salários atrasados aos jogadores, mas ainda deve outros dois meses.Conquistar uma vaga na Taça Libertadores será uma oportunidade de o Flamengo obter recursos, mas o time ainda busca outras alternativas.Embora não pense em vender jogadores, o presidente do Flamengo, Edmundo dos Santos Silva, reconheceu que, para evitar dívidas, é precisa manter uma política "de pés no chão". "A obrigação do patrão é pagar o empregado", disse. No momento, a folha de pagamento do clube gira em torno de R$ 2,5 milhões - só o zagueiro Gamarra recebe R$ 450 mil.Os jogadores chegaram a ameaçar fazer uma greve, após a conquista do tricampeonato Carioca. A diretoria temia que o protesto se repetisse durante a Copa dos Campeões. Por isso, pagou os salários não só dos atletas, como dos funcionários do clube, que estão quitados.Edmundo informou que está negociando uma parceria com uma empresa - o clube rompeu com a falida International Sports License (ISL). Segundo o dirigente, a venda de passes de jogadores, por enquanto, está descartada. Ele negou que o clube tenha recebido proposta da Lazio pelo passe do zagueiro Juan.Na Libertadores, o Flamengo sabe que contará com mais uma fonte de renda. Por cada partida na competição, o time recebe US$ 350 mil e, se chegar ao título sul-americano, terá direito a US$ 2 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.