Título é o trunfo de Alex para ficar

Alex continua apreensivo em relação a seu futuro. O meia quer ficar no Palmeiras, mas até agora não foi procurado pela diretoria para discutir a permanência. Sabe que sua situação é delicada, mas acredita ter um grande trunfo nas mãos: a boa campanha do time na Copa Libertadores da América. "Se conquistarmos o título, acho que vou ganhar pontos para poder ficar", acredita o jogador.Por isso, os confrontos com o Boca Juniors serão fundamentais para o craque palmeirense, principalmente para apagar os erros que cometeu contra o Cruzeiro. Após a partida da última quarta-feira, no Mineirão, o presidente Mustafá Contursi conversou com Alex, mas não deu nenhuma boa notícia. "Ele me pediu apenas que ficasse tranqüilo." O dirigente quis consolá-lo depois das duas cobranças de pênalti que o meia desperdiçou em Minas.O passe de Alex pertence ao Parma, da Itália, e está emprestado ao clube brasileiro até o fim de julho. Os italianos não têm intenção de aproveitá-lo na próxima temporada e até aceitariam liberá-lo. A diretoria palmeirense, no entanto, já avisou que não paga os US$ 10 milhões que os europeus querem para vendê-lo. O La Coruña, da Espanha, tem interesse no atleta e pode levá-lo. A única opção do Palmeiras seria renovar seu empréstimo. Para isso, contudo, terá de convencer dirigentes do Parma, que preferem negociar seu passe em definitivo. Se o time for campeão da Libertadores, a diretoria palmeirense fará todos os esforços para manter Alex para a disputa do Mundial, em Tóquio, segundo informou um dirigente ligado ao presidente Mustafá. "Tenho o sonho de jogar na Europa um dia, mas não agora", avisa o jogador.Volta - O lateral-direito Arce retornou neste domingo ao Brasil, depois de defender o Paraguai diante do Chile, no sábado, pelas Eliminatórias sul-americanas. Ele está confirmado para a partida de quinta-feira contra o Boca Juniors, em Buenos Aires.Argel, cujo passe foi vendido ao Benfica, se reapresenta nesta segunda-feira ao técnico Celso Roth. Ele permanecerá no Palmeiras até o fim da Libertadores. Para a batalha da Argentina, o treinador pode, até, escalar três volantes.

Agencia Estado,

03 de junho de 2001 | 19h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.