Título pode levar Kleber à seleção

Fora de campo, ele não é de muita conversa e mostra até uma certa timidez, algumas vezes confundida com falta de simpatia. Mas basta entrar em campo para a figura retraída do lateral Kleber se transformar em um verdadeiro leão. O jogador retraído torna-se um lateral agressivo não só no toque de bola como não dispensa uma boa bronca se algum companheiro deixa de desempenhar o papel determinado pelo treinador ou o deixar na mão na marcação. Ao lado de Gil, com quem joga desde as categorias de base, Kleber faz reviver no Corinthians uma tradição cada vez mais rara do futebol brasileiro: as duplas. Seu entrosamento com o colega atacante faz o setor esquerdo do time ser temido por todos os adversários e seu nome de ambos ser propenso a entrar para a história do clube. Um título paulista sobre o São Paulo certamente seria de grande ajuda. Kleber, sem dúvida, é como vários companheiros de equipe candidato a formar a nova geração de jogadores que deve defender a seleção brasileira nos próximos anos. O bom relacionamento com o técnico Carlos Alberto Parreira, que sempre avaliou seu futebol positivamente durante a passagem pelo Corinthians, é um ponto a seu favor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.