'Tive coragem para bater pênalti', diz Gyan após falhar

Depois de desperdiçar um pênalti no minuto final da prorrogação e Gana ser eliminada pelo Uruguai na disputa de penalidades, o atacante Asamoah Gyan procurou minimizar o seu erro que impediu um feito histórico: nunca uma seleção africana havia chegado à semifinal de uma Copa do Mundo, o que teria ocorrido se o atacante do Rennes convertesse a cobrança.

AE, Agência Estado

03 de julho de 2010 | 09h19

Abatido após o término da partida, Gyan enalteceu que ao menos teve coragem para bater o pênalti. "Ainda voltarei, tenho uma mentalidade forte. Ao menos tive a coragem para cobrar o pênalti", disse o jogador, que havia convertido duas penalidades - contra Sérvia e Austrália - na primeira fase.

A ironia do destino, segundo lamentou o atacante, é que agora o destaque é Luiz Suárez, jogador uruguaio que cometeu o pênalti e foi expulso. "Agora ele é o herói no país dele, bola que segue, ele parou a bola com a mão e eu perdi o pênalti. A vida é assim", lamentou.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2010futebolGanaAsamoah Gyan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.