TJD mantém a suspensão de Leão

O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) de São Paulo confirmou nesta terça-feira a suspensão de 60 dias do técnico Emerson Leão, por considerações desrespeitosas ao árbitro Sálvio Espínola Fagundes Filho e à arbitragem paulista, feitas no início do mês passado, após o empate por 2 a 2 entre o São Paulo e a União Barbarense, em Santa Bárbara D´Oeste.Mas, por ter conseguido um mandado de garantia, Leão pode continuar dirigindo o time até o julgamento do recurso que será movido nesta quarta-feira pelo São Paulo no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio de Janeiro."Eu tinha plena convicção de que o resultado seria definido somente no STJD. Vamos esperar. Estamos confiantes de que reverteremos o resultado", afirmou o advogado do São Paulo, José Carlos Ferreira Alves, após a sessão desta terça-feira. Ainda não há data marcada para o julgamento do caso no Rio.Leão foi condenado, no dia 14 de fevereiro, por infração ao artigo 188 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, por unanimidade, pela 3ª Comissão Disciplinar do TJD. O São Paulo recorreu em seguida e, nesta terça-feira, em tribunal pleno, o órgão rejeitou o recurso por 7 votos a 1 e confirmou a punição imposta em primeira instância.No entendimento dos auditores, as críticas de Leão ao árbitro de São Paulo x Barbarense foram ofensivas e conturbaram o andamento do Campeonato Paulista. "Naquela semana, tivemos uma agitação geral, com agressão a um árbitro e as reclamações do Zetti (técnico do São Caetano) de que o Leão teria tentado influenciar as arbitragens", afirmou o presidente do TJD, Naief Saad Neto, ao votar pela suspensão. "Após a punição, o clima acalmou. A interpretação foi profilática."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.