TJD tira o jogo decisivo de Jundiaí

Bastaram 70 minutos de julgamento para o Paulista perder o direito de jogar a partida mais importante da sua história em Jundiaí. Por 3 a 0, os auditores do Tribunal de Justiça Desportiva da FPF condenaram o Paulista e a Ponte Preta pelos incidentes do dia 20. Os dois clubes terão de pagar R$ 100 mil de multa. Mas o pior foi a perda de três mandos de jogos. Resultado: o Paulista irá disputar a semifinal do Campeonato Paulista contra o Palmeiras longe de sua torcida. E se ganhar, também não terá esse direito. Santos, Presidente Prudente e Ribeirão Preto são candidatas ao jogo de domingo. Mas o técnico Zetti pode indicar o Morumbi como o seu campo predileto. A decisão deverá acontecer nesta terça-feira. ?Não há tempo para que o Paulista recorra. O Código do Torcedor exige várias formalidades que impedem um recurso até o domingo. A sentença já colocou a partida contra o Palmeiras definitivamente fora de Jundiaí?, decretou o presidente do STJD, Naief Saad Neto. ?Foi um absurdo o que aconteceu. Não prestaram atenção na defesa doPaulista. É claro que o time pequeno foi prejudicado na semifinalcontra uma equipe grande. Eu tinha certeza de que isso aconteceria.Acabaram com a felicidade de uma cidade pacífica que foi prejudicadapelos vândalos da Ponte Preta. Mas time pequeno no Brasil é assimmesmo. Ainda mais na hora da decisão?, lamentava o presidente doJundiaí, Eduardo Palhares. Zetti estava arrasado com o resultado. O treinador sabia que os seusjogadores adoram atuar no gramado curto e que aumenta a velocidade dabola do Jaime Cintra. ?Foi o que eu esperava. Estou profundamente triste. O time foi punidopelos problemas longe do campo. Nós não tivemos nada a ver com toda aconfusão. Lutamos tanto para chegar a uma semifinal de Paulista e agoraperdemos um grande trunfo que é a nossa torcida. Vou me reunir com osjogadores e o presidente para estudar o melhor lugar para jogar?,assegurava Zetti. Porém, mais adiante nas entrevistas, o treinador deixava escapar asua predileção pelo Morumbi. ?Pelas características do nosso time, oestádio do São Paulo nos agrada muito.? Há porém dois detalhes. A princípio, a partida deveria acontecer 150quilômetros de distância de Jundiaí. E segundo, o presidente doPaulista teme que se confirme um boato que dominava a cidade desde asemana passada. ?Estavam falando que eu vendi o segundo jogo com o Palmeiras paraacontecer em São Paulo. Se eu confirmo a decisão da semifinal para aCapital as pessoas de Jundiaí vão pensar que já estava tudo acertado.Por isso, não pretendo fazer a partida no Morumbi.? O mando da segunda partida da semifinal é do Paulista. A FPF tem osmandos das duas finais. Ou seja: tudo irá depender de Palhares e Zetti.Haverá um leilão entre as prefeituras de Presidente Prudente e RibeirãoPreto. Santos surgiu como uma terceira e atraente opção por causa dostorcedores santistas. Zetti acredita que se o Santos eliminar o São Caetano no sábado, aVila Belmiro no mínimo seria dividida com torcedores santistasincentivando o Paulista. E levar o Paulista à final. A decisão deverásair nesta terça.

Agencia Estado,

29 de março de 2004 | 18h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.