Matthias Schrader/AP
Matthias Schrader/AP

'Todos vão querer bater o campeão', avisa Dante, zagueiro do Bayern

Em entrevista exclusiva, brasileiro fala sobre a disputa da Liga dos Campeões e o trabalho de Guardiola

PAULO FAVERO, O Estado de S. Paulo

17 de setembro de 2013 | 07h08

SÃO PAULO - Em alta pelos títulos europeu com o Bayern de Munique e da Copa das Confederações com a seleção brasileira, o zagueiro Dante entra em campo hoje, contra o CSKA, para tentar repetir a façanha da última temporada, quando levou o time alemão aos títulos e fez história na Europa. Nesta entrevista exclusiva, ele fala sobre as expectativas para a disputa da Liga dos Campeões, sobre o trabalho do técnico Pep Guardiola e elogia dois companheiros de equipe.

O que representa o título da Liga dos Campeões para a carreira de um jogador?

Em relação a um jogador que joga na Europa esse é o maior título que podemos conquistar. Realmente é muito especial, pois é a competição de clubes mais difícil do mundo e os melhores jogadores estão presentes. Poder conquistar esse título em meu primeiro ano de Bayern foi muito bom. A equipe vinha de dois reveses em finais em três anos e poder ganhar em cima do Borussia Dortmund, logo em Wembley, um estádio emblemático, realmente e inesquecível.

Qual é o segredo para a equipe chegar à conquista?

A Liga dos Campeões é muito difícil, mas não tem segredo para poder ir longe e chegar numa final. Eu acho que é importante levar a sério cada partida e a equipe ir crescendo a cada fase que vai passando. Não adianta ficar pensando numa eventual decisão. Todos os times que enfrentamos no ano passado na fase de mata-mata tinham totais condições de jogar a final. Arsenal, Juventus e Barcelona são grandes equipes e conseguimos impor nosso jogo nas partidas. O Bayern é um time que tem muita tradição nesse tipo de competição e temos jogadores que têm experiência.

Como você vê a força do Bayern para esta edição?

Sempre é muito difícil repetir o título no torneio. Primeiro, porque a competição é muito nivelada e existem grandes equipes que podem chegar lá. Segundo porque todos vão querer bater o campeão. Portanto, temos de encarar cada jogo como se fosse uma final e quem sabe poder ter mais uma vez grandes performances da nossa equipe. Estamos trabalhando forte para isso.

Qual é a sua impressão até agora do novo técnico, o Guardiola?

É um grande técnico com pensamentos modernos. Espero que possamos rapidamente nos adaptar ao estilo que ele quer que nós joguemos e que possamos ganhar muitos títulos juntos.

É possível o Bayern repetir o feito da temporada passada?

Normalmente isso é muito difícil. Repetir uma temporada perfeita como tivemos requer muito foco, dedicação, e a equipe toda tem de estar muito fechada em um objetivo: ganhar títulos. Além disso, temos de ter também sorte de campeão e muita qualidade na equipe. Se colocarmos em nossas mentes que podemos de novo, e jogar um futebol envolvente e com objetividade, acho que podemos nos colocar na posição de fazer mais uma vez uma grande temporada.

Você atua ao lado de grandes craques. Qual deles mais te chama a atenção? Por que?

Temos grandes jogadores em nossa equipe. O Schweinsteiger e o Ribéry, para mim, são especiais por tudo que fizeram na temporada passada.

Para finalizar, quais seus objetivos pessoais para os próximos anos? Sonha com a Copa do Mundo?

Aqui no Bayern sempre temos de entrar para ganhar tudo que disputamos. Portanto, comigo não é diferente. Gostaria de conquistar o maior número possível de títulos com esse time e claro ser campeão do mundo pelo Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.