Togo fica sem técnico a quatro dias da estréia no Mundial

Foi oficializada a saída do técnico da seleção de Togo, o alemão Otto Pfister. Ele abandonou a concentração da seleção, em Wangen Im Allgau, por se desentender com o grupo de jogadores.A notícia foi confirmada pelo médico da seleção, Joachim Schubert. "Ele [Otto] deixou o hotel com seu auxiliar Piet Hamberg às 22h20 (hora local, 17h20 de Brasília), afirmou. "É muito ruim a sua saída, porque ele trabalhou bem. Mas a situação não era mais sustentável." A seleção de Togo vivia momentos difíceis na Alemanha por motivos financeiros. Os jogadores reivindicavam 155 mil euros pela participação no Mundial, e ainda mais 30 mil euros por vitória e 15 mil por empate, valores considerados altos pela federação local. O técnico queria que o grupo priorizasse a disputa da Copa, não o dinheiro.O primeiro-ministro do País, Edem Kodjo, desembarcou nesta sexta na Alemanha para tentar resolver o impasse. Agora, o problema ficou ainda maior. Não se sabe quem comandará a equipe na estréia no Mundial, na próxima terça-feira, contra a Coréia do Sul, em Frankfurt. È a primeira vez que a seleção participa da Copa do Mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.