Togo pede para entrar na Copa Africana mais tarde, diz ministro

Os jogadores da seleção de Togo estão voltando para seu país com os corpos dos componentes da delegação que foram mortos em um ataque contra o ônibus que transportava o time em Angola, mas ainda esperam poder jogar a Copa Africana de Nações, disse o ministro do Esporte do país neste domingo.

REUTERS

10 de janeiro de 2010 | 18h12

Christophe Tchao disse a repórteres que Togo pediu para a Confederação Africana de Futebol (CAF) encontrar uma maneira de a seleção do país voltar à competição mais para frente.

"Nós pedimos um período de luto de três dias", disse Tchao. "Os jogadores estão indo com os corpos de seus irmãos mortos e nós pedimos à CAF que encontre uma maneira de entrarmos mais tarde na competição."

Os comentários do ministro aprofundam a confusão sobre os planos da equipe, depois de o primeiro-ministro do Togo ter insistido anteriormente na retirada do país do torneio depois do ataque de sexta-feira, que deixou três mortos.

(Reportagem de Julien Pretot)

Tudo o que sabemos sobre:
FUTTOGOMINISTROPEDE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.