Jonne Roriz/AE - 30/10/2009
Jonne Roriz/AE - 30/10/2009

Tolerância zero para garantir a segurança do clássico

Torcedores de Corinthians e Palmeiras vão ficar separados em Presidente Prudente para evitar confusões

Fábio Hecico, O Estado de S. Paulo

31 de outubro de 2009 | 15h59

O mais perto que corintianos e palmeirenses vão ficar no clássico deste domingo será nas arquibancadas do Estádio Prudentão. Fora, terão de seguir em rotas diferentes por causa do forte esquema policial, com cartilha de como se comportar na cidade. A rotina será alterada, já que é comum os prudentinos e torcedores do interior, mesmo rivais, irem juntos a um jogo.

 

Veja também:

tabela SIMULADOR - Veja quem pode ser o campeão

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabelaClassificação

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

 

"Será tolerância zero, não queremos registrar ocorrências, nada de incidentes", enfatiza Abel Gomes Brandi, secretário de assuntos viários e de segurança pública de Presidente Prudente. Ele participou de reuniões com o tenente-coronel Geraldo Fernandes Néspoli Berardinelli, do 18.º Batalhão da Polícia Militar, responsável por garantir a paz no dérbi. Serão 644 policiais, 500 nos arredores do estádio e outros 144 na parte interna.

 

"Nossa maior preocupação é com as torcidas organizadas. Intensificaremos o trabalho sobre elas desde a saída de São Paulo para evitar atritos. Temos de proteger os torcedores da região, que não têm malícia", segue Brandi.

 

"Nossa obrigação é dar segurança a todos, é evitar confusão", acrescenta Berardinelli. "Estive em São Paulo para uma reunião com os chefes das torcidas uniformizadas e prometeram que nada de errado ocorrerá", diz. Este será o terceiro clássico entre as equipes na cidade. Presidente Prudente também é opção para o Palmeiras mandar seus clássicos em 2010, no período em que a nova Arena do clube estiver sendo construída.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.