Tom Hicks afirma que não venderá suas ações do Liverpool

Magnata texano, que é co-proprietário da equipe inglesa, desmente contatos com grupo investidor de Dubai

Efe,

21 de janeiro de 2008 | 11h40

O norte-americano Tom Hicks, co-proprietário do Liverpool, afirmou nesta segunda-feira que não tem intenção de vender suas ações do clube. Desde o último final de semana, a atenção da mídia em Liverpool se concentrou na possibilidade de o braço investidor do Governo de Dubai, o Dubai International Capital (DEZ), comprar parte ou todas as ações de Tom Hicks e de George Gillett. "Não recebi oferta alguma do DEZ nem de ninguém para adquirir o clube e menos ainda aceitaria uma negociação", afirmou o magnata texano, que acrescentou: "Não tenho intenção alguma de fazer isto". Os planos de Hicks e Gillett passam por refinanciar a dívida contraída com um banco britânico e, para isto, pretendem conseguir um novo empréstimo que lhes permita enfrentar o compromisso anterior e avançar com os planos de construção de um novo estádio. Em todo caso, segundo a BBC, a empresa dos Emirados Árabes sabe que os dois milionários poderiam vender sua participação antes de refinanciar a dívida. Desta forma, a DEZ já teria preparada uma oferta de cerca de 540 milhões de euros (R$ 1,4 bilhão), para adquirir a equipe. No entanto, Hicks chamou a informação divulgada no último fim de semana de falsa e confirmou o "compromisso total" de sua família para continuar com sua etapa no Liverpool. "Ninguém em minha família jamais expressou intenção alguma ou desejou vender nossa participação no clube. Esperamos e temos a intenção de ser co-proprietários da equipe e apoiar de forma ativa e com entusiasmo o treinador, os jogadores e os torcedores durante muitos anos mais", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
Liverpool

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.