Christian Hartmann/Reuters
Christian Hartmann/Reuters

'Tomaremos o máximo de precaução para sairmos', tranquiliza estafe sobre saúde de Pelé

Equipe garante que Rei do futebol está bem e que não tem pressa de retornar ao Brasil nem ter alta médica

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de abril de 2019 | 21h14

Pelé apresentou melhoras, mas continua internado em Paris, na França, em tratamento à base de antibióticos para se curar de uma infecção urinária. De acordo com seu estafe na capital francesa, em conversa com o Estado ontem, "Pelé está bem, não corre nenhum risco sério, mas também não há nenhuma pressa para retornar ao Brasil."

As decisões tomadas com a equipe médica do American Hospital Paris são diárias. "Tomaremos o máximo de precaução para sairmos", preveniu representantes de Pelé sobre a alta médica do ex-atleta. Era para Pelé ter deixou o hospital em Paris no sábado, embarcado para o Brasil e passado por novos exames nos hospital Albert Einstein.  

No último sábado, o ex-jogador de 78 anos passou por uma nova avaliação que mostrou que o problema de saúde estava controlado e a infecção estava praticamente extinta. Apesar disso, Pelé continuou em observação, pois o caso inspira mais cuidados do que o habitual.

O problema do astro do futebol mundial começou com uma febre durante evento em que se encontrou com Kylian Mbappé, grande nome do esporte francês e do PSG. Após passar por avaliação médica, foi diagnosticada uma infecção urinária, a mesma que o acometeu em 2014. Pelé, que possui apenas um rim, logo foi tratado com antibióticos e seu organismo respondeu bem aos medicamentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.