Reprodução/ Twitter
Reprodução/ Twitter

Tóquio realiza teste em estádio de beisebol com 86% da capacidade de público

Evento contou com tecnologias de monitoramento do ar e do público para evitar transmissão do novo coronavírus

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de novembro de 2020 | 19h16

Os organizadores da Olimpíada de Tóquio 2020 garantem que o evento acontecerá de qualquer maneira em 2021. Para isso, uma série de testes está sendo realizada na cidade-sede para diminuir os contagios do novo coronavírus sobre o público que estará no evento. Serão reunidas tecnologias de monitoramento do ar e do público. Ao longo dos próximos meses, testes serão realizados em equipamentos que receberão os Jogos. No Yokohama Stadium, que receberá as partidas de beisebol e softbol, foram liberados 80%, 90% e depois 100% da capacidade do público. Para o jogo entre os donos da casa DeNA BayStars e o Hanshin Tigers, apesar da liberação total, 27.850 pessoas compareceram, ou seja, 86% da capacidade do estádio foi usada.

Anteriormente, o governo japonês permitia somente 50% da capacidade do equipamento. O diretor do Comitê Organizador Local, Nakamura Hidemasa gostou dos resultados alcançados. "Vimos um grande trabalho em equipe combinado com a tecnologia mais recente disponível em uma instalação olímpico oficial. Ainda há muito o que fazer, mas, nos Jogos do próximo verão, espero que o tipo de trabalho em equipe que vimos hoje e a tecnologia de ponta estejam em plena exibição. Isso nos ajudará a hospedar os Jogos de forma segura para atletas e espectadores. Há muito que podemos tirar disso", avaliou Hidemasa.

Com o uso obrigatório de máscara no local, dezenas de câmeras e sensores de alta resolução instalados fiscalizam seu uso. Além disso, há dispositivos que verificam a quantidade de dióxido de carbono e a velocidade do vento para analisar o espalhamento de gotículas.

Torcedores foram obrigados a instalar um aplicativo de rastreamento para serem encontrados após o jogo. Quem adentrava o local tinha a temperatura corporal aferida. Saída e entrada do estádio foram divididas em blocos para evitar aglomeração. 

Os resultados do experimento serão divulgados pelo governo japonês e pelo comitê organizador. Na próxima semana, um novo evento teste está marcado para o Tokyo Dome, que tem capacidade para 55 mil pessoas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.