Torcedor condenado a prisão perpétua

Um torcedor do Almirante Brown - equipe da segunda divisão argentina - foi condenado a prisão perpétua por assassinar um torcedor rival. No dia 9 de abril de 99, Cristian Acuña, de 26 anos, matou José Silcán, de 14, apenas porque este brincava num baile estudantil, vestido com a camisa do Nueva Chicago, clube que hoje disputa a primeira divisão do país e é um dos mais tradicionais rivais do Almirante. Os juízes concluíram que Acuña cometeu ?crime de homicídio qualificado por motivo torpe?. Só neste ano, quatro torcedores foram mortos na Argentina em conflitos de torcidas.

Agencia Estado,

20 Março 2002 | 15h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.