Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Torcedor do Boca se diz arrependido por ataque: 'Estou desesperado'

Adrián Napolitano assume a culpa pelo disparo do gás de pimenta

Rodrigo Cavalheiro, CORRESPONDENTE / BUENOS AIRES, Estadão Conteúdo

19 de maio de 2015 | 14h56

O torcedor do Boca Juniors que usou spray de pimenta contra jogadores do River Plate no intervalo do clássico de quinta-feira, Adrián Napolitano, assumiu nesta terça-feira ter praticado a ação. Em uma mensagem gravada deixada para o jornalista Gustavo Grabia, que estuda o funcionamento da Barra Brava 12, a principal organizada do Boca, o torcedor conhecido como Panadero, se disse arrependido, desesperado e com medo de retaliação contra ele e sua família.

A suspensão da partida levou à eliminação do clube da Libertadores pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol). O River enfrenta o Cruzeiro nesta quinta-feira, às 22 horas, em Buenos Aires.

Apesar da repercussão do caso, é provável que ele seja indiciado por lesões leves agravadas, com uma pena máxima de 16 meses – na prática, não chegaria à prisão. Isso contribuiu para que ele admitisse a ação e não fugisse, contrariando versões de que teria saído do país. Segundo Grabia, Napolitano não é um dos chefes da barra brava. Sua família é dona de uma rede de padarias na zona metropolitana de Buenos Aires. Ele é casado, tem um filho e não conta com antecedentes penais. "Vou ao estádio há 25 anos e nunca tive problemas. Sou um trabalhador que acorda às 4 horas da manhã. Quando me dei conta, queria morrer", justificou Napolitano na gravação.

"Ele disse que agiu sozinho, o que é mentira", afirmou Gravio ao canal TN. Napolitano aparece em imagens gravadas com vários torcedores que escondem o rosto. O fato de ter jogado o produto caseiro à base de pimenta justamente quando os jogadores rivais regressavam ao campo levanta a suspeita de que alguém no túnel tenha informado sobre a aproximação do time adversário ao gramado. Segundo testemunhos não confirmados pela polícia, ele saiu do estádio disfarçado, com auxílio de funcionários do clube.

Além de ter sido eliminado da competição, o Boca foi punido pela Conmebol ainda com quatro partidas sem torcida nos quatro próximos jogos como anfitrião em torneios internacionais e seus torcedores ficam proibidos de ir aos próximos quatro jogos como visitantes nessas competições. Terá que pagar uma multa de US$ 200 mil (R$ 600 mil). O clube recorreu contra a as sanções, consideradas leves pela imprensa argentina, já que não houve interdição da Bombonera e cogitava-se a suspensão do clube de competições internacionais por pelo menos um ano. O presidente do time, Daniel Angelini, disse em entrevista na noite de terça-feira que a ação foi planejada para prejudicá-lo. "Tínhamos todo o segundo tempo para vencer o jogo, nenhum torcedor do Boca poderia querer interromper a partida", afirmou. O clube tem eleição esse ano.

FOX omente nesta terça, a identidade do "Panadero" ("Padeiro", em português) foi revelada após análise de imagens da transmissão do canal Fox Sports na Argentina. "Não pensei que fosse chegar onde chegou, jamais imaginei", disse o rapaz, em áudio divulgado pelo canal TyC Sports.

No vídeo analisado pela Justiça, observa-se claramente Adrián, com um casaco amarelo e gorro azul, andando pela tribuna inferior norte e se aproximando do túnel inflável. Após estender a sua mão através do alambrado, ele lança um líquido de coloração laranja.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.