Site Oficial / Guarani
Site Oficial / Guarani

Torcedor do Guarani é indiciado por morte de rival da Ponte Preta

Homem alega ter efetuado disparo em legítima defesa ao ser encurralado em casa; ele foi liberado após prestar depoimento

Rene Moreira, Estadão Conteúdo

10 Maio 2018 | 11h30

A Polícia Civil de Campinas indiciou, nesta quinta-feira, um homem de 31 anos, torcedor do Guarani, por homicídio doloso. Ele é acusado de matar Leonardo Bernardes, de 18 anos, que torcia para a Ponte Preta e foi assassinado a tiro horas antes do jogo entre as duas equipes no último sábado, pela Série B do Campeonato Brasileiro.

+ Guarani volta a vencer e Criciúma segue sem pontuar após cinco jogos na Série B

O suspeito se apresentou na terça-feira e alegou legítima defesa, pois, junto a amigos, teria sido encurralado na frente de sua casa por um grupo de torcedores da Ponte. Ele foi ouvido e liberado para responder em liberdade por não ter ocorrido o flagrante, ser primário e possuir endereço fixo. À polícia, confirmou ser torcedor do Guarani, mas garantiu não pertencer à nenhuma torcida uniformizada.

Laudo da perícia apontou que a vítima saiu correndo e foi atingida por um disparo nas costas. Segundo o delegado do Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), Rui Pegolo, imagens de vídeo já haviam identificado o autor, que poderá ter sua prisão requisitada à Justiça ao fim do inquérito.

O crime aconteceu quando torcedores dos dois times se encontraram no bairro São Bernardo. A polícia já ouviu várias testemunhas e está cruzando informações, que apontam que havia um número bem maior de ponte-pretanos em relação aos bugrinos no momento em que o suspeito entrou em casa, pegou um revólver e disparou um tiro ao voltar à rua.

AUTORIA

A apuração indica que o confronto não havia sido marcado com antecedência, apesar de alguns torcedores portarem pedaços de pau. O delegado falou ao Estado que o inquérito será finalizado já na próxima semana. "Faltam apenas três testemunhas a serem ouvidas", disse Pegolo. O resultado, porém, deve apontar apenas um torcedor como acusado pelo crime.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.