Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

Torcedor é detido no Engenhão por injúria racial a familiares de Vinícius Júnior

Tios do jogador denunciaram as ofensas a policiais, que prenderam o homem em flagrante e o encaminharam ao Jecrim

Bibiana Borba, O Estado de S.Paulo

17 de agosto de 2017 | 01h46

Um torcedor do Botafogo foi preso em flagrante pela Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro no Estádio Nilton Santos, o Engenhão, por ofensas racistas na noite desta quarta-feira, 16. Ele foi acusado de injúria racial por familiares do jogador Vinícius Júnior, do Flamengo, que assistiam à partida encerrada em empate de 0 a 0 pela Copa do Brasil.

O homem foi encaminhado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim) localizado dentro do estádio, que ainda não divulgou o nome dele ou detalhes sobre o caso. O crime de injúria racial tem pena prevista pelo Código Penal de multa e reclusão de um a três anos - muitas vezes estabelecida pela Justiça em regime aberto ou semiaberto.

Imagens de emissoras de TV registraram o momento em que o botafoguense, que estava no setor leste inferior do estádio, grita ofensas e faz gestos com referências racistas apontando para um casal de tios do atacante rubro-negro, que estava em uma arquibancada superior.

No Twitter, a direção do Flamento lamentou o caso em publicação de apoio ao jogador e reforçou o repúdio ao racismo. O nome do atacante ficou entre os termos mais comentados na rede social após a partida. 

Confusões entre torcidas. Também houve registro de tumultos entre torcedores antes e depois da partida na noite desta quarta, no Engenhão. Horas antes do duelo, o ônibus que levava a delegação rubro-negra ao estádio foi recebido com pedradas por alguns membros botafoguenses, segundo relato do diretor-executivo do Flamengo, Rodrigo Caetano. Imagens veiculadas por alguns órgãos de imprensa mostraram a lateral do veículo amassada. 

A entrada da torcida flamenguista no Engenhão também foi bastante tumultuada. Boa parte dos quase quatro mil rubro-negros que compraram ingresso para assistir ao clássico na casa do rival chegaram ao palco do jogo em cima da hora, o que gerou longas filas no portão de entrada. Após um grupo tentar invadir o estádio, a PM utilizou balas de borracha e spray de pimenta para controlar a situação.

Após o jogo, foi registrada uma briga entre torcedores botafoguenses de torcidas organizadas diferentes, de acordo com registro da emissora ESPN. Os policiais usaram novamente bombas de efeito moral e até balas de borracha para encerrar o tumulto. Houve feridos sem gravidade e alguns foram presos pela PM e também encaminhados ao Jecrim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.