Reprodução Twitter
Reprodução Twitter

Torcedora do Atlético-MG denuncia assédio após ser agarrada e beijada à força no Mineirão

Vítima registrou boletim de ocorrência na polícia e cita 'descaso' dos guardas do estádio com a situação. Relato foi publicado nas redes sociais

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2021 | 16h32

Uma torcedora do Atlético-MG denunciou um caso de assédio sofrido nesta quarta-feira, dia 10, no estádio do Mineirão durante a partida com o Corinthians. Em relato publicado nas redes sociais, Débora Cotta afirma que foi agarrada e beijada à força em um dos bares do estádio. 

Segundo a mulher, a importunação aconteceu no início do segundo tempo da partida, vencida pelo time mineiro por 3 a 0. A atleticana conta que o suspeito chegou de repente, a agarrou com força e lhe deu um beijo na boca, saindo correndo logo em seguida. Ela conta que seguiu o homem e o atingiu com socos e chutes. Apesar de ter gritado ele a havia assediado, somente uma moça a ajudou. 

Após o incidente, Débora afirma ter pedido ajuda aos seguranças do estádio para tentar achar o homem, mas eles teriam dito que nada poderia ser feito caso ela não tivesse testemunhas e não soubesse apontar onde estava o suspeito. Chorando, ela afirma, ainda, que ouviu apenas de um dos guardas que ela deveria "procurar a polícia".

A dificuldade para conseguir ser amparada após o ocorrido, mesmo chorando e visivelmente constrangida, revoltou a jovem, que alegou descaso do Mineirão com a situação. 

"Nunca tinha passado por algo assim, e não desejo isso pra ninguém. Estou com um sentimento que não sei explicar", escreveu. 

Ainda de acordo com o relato, após não obter sucesso ao pedir ajuda, um dos guardas a levou até a base da polícia do Mineirão. Lá ela fez um boletim de ocorrência (B.O.) e os policiais conseguiram resgatar as imagens do momento do assédio pelas câmeras de segurança. O suspeito, no entanto, não foi capturado. 

Procurados, os responsáveis pela operação do Mineirão e a Polícia Civil ainda não retornaram à reportagem. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.