Alex Silva| Estadão
Alex Silva| Estadão

Torcedora desiste de processar São Paulo por queda de grade 

Milene Nunes Adipietro acionou Justiça do Estado por danos morais, mas, horas depois, fez um pedido de desistência

O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2016 | 11h50

A torcedora Milene Nunes Adipietro desistiu de processar o São Paulo por danos morais devido ao rompimento da grade de um dos camarotes do estádio do Morumbi, local onde ela estava junto com a filha e uma sobrinha na partida contra o Atlético-MG, pela Copa Libertadores, no dia 11 de maio. Segundo matéria publicada pela ESPN nesta segunda-feira, Milene entrou com uma ação na Justiça do Estado pedindo indenização de R$ 20 mil, mas, horas depois, fez uma soliticação de desistência.

O advogado de Milene, Luciano Terreri Mendonça Junior, contou na reportagem que a mulher ficou assustada com a repercussão e não se sentiu à vontade após noticiarem o fato, porém, vai buscar um acordo extrajudicial com o clube tricolor. Segundo o texto, a são-paulina descreve que "ao ir ao chão em um baque, ficou atordoada, atônita, em choque, além de dor que sentia em suas pernas devido à queda. No entanto, logo em seguida, vendo que sua sobrinha estava em estado muito mais grave, ignorando o susto que passou e a dor que sentia, pôs-se a ajudá-la. Sua sobrinha estava esquálida, ainda mais atordoada pela queda e com grande dor."

Ainda de acordo com Milene, "o serviço (de atendimento do São Paulo) não ofereceu as mínimas condições de segurança para seus consumidores". A sobrinha da são-paulina foi primeiramente socorrida pelo volante Wesley. O rompimento da grade de um dos camarotes do Morumbi aconteceu logo depois do gol de Michel Bastos, na primeira partida das quartas de final da Libertadores, contra o Atlético-MG. Conforme o serviço ambulatorial do estádio, 16 pessoas foram atendidas, sendo três deles diagnosticados com fratura. Atualmente, a primeira fila de todo o anel inferior está interditado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.