Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Torcedores de Guarani e Ponte entram em confronto na véspera do dérbi pela Série B

Não houve presos nem registro de feridos, segundo informações da polícia

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de outubro de 2020 | 21h24

Na véspera do dérbi de Campinas pela Série B do Campeonato Brasileiro, torcedores de Guarani e Ponte Preta entraram em conflito na noite desta segunda-feira nos arredores do Brinco de Ouro da Princesa e do Moisés Lucarelli. A confusão se estendeu pela Avenida Princesa d'Oeste e parou o trânsito nesta via.

A polícia foi chamada até o local e tentou conter o confronto. Não houve presos nem registro de feridos. A Guarda Municipal de Campinas e a Polícia Militar informaram que cerca de 100 torcedores do Guarani saíram pelas ruas com intuito de confrontar a torcida rival. Ainda segundo a corporação, o conflito já havia cessado antes da chegada das viaturas.

Nas imagens recebidas, alguns vândalos aparecem segurando objetos em mãos no formato de cassetete, podendo ser barras de ferros ou até mesmo pedaços de madeira. Eles chegaram a arremessar fogos de artifícios uns contra os outros.

Minutos antes do confronto, os torcedores do Guarani, ignorando o distanciamento social imposto pelos responsáveis da saúde no combate a covid-19, compareceram ao Brinco de Ouro da Princesa para recepcionar os jogadores que estavam de saída para a concentração. Depois que o ônibus seguiu seu caminho, a briga se espalhou pelo bairro Proença, com torcedores da Ponte Preta que estavam próximos da Avenida Ayrton Senna.

Ainda nesta segunda-feira, o prefeito Jonas Donizete assinou um decreto proibindo a circulação em torno dos dois estádios antes e depois da partida, em uma distância de 300 metros, visando evitar qualquer tipo de conflito e aglomeração.

Ponte Preta e Guarani se enfrentam neste terça-feira, às 21h30, no estádio Moisés Lucarelli. O time alvinegro é o quinto colocado, com 21 pontos, contra 11 de seu rival e vice-lanterna.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.