REUTERS/Ed Sykes
REUTERS/Ed Sykes

Torcedores de Liverpool e Real Madrid sem ingressos lotam espaços destinados a eles em Paris

Nas Fanzones, seguidores ingleses e espanhóis demonstram confiança na conquista do título da Liga dos Campeões

Fernando Valeika de Barros, Especial para o Estadão, de Paris

28 de maio de 2022 | 14h45

Há pouco menos de duas horas do pontapé inicial da final da Liga dos Campeões, no Stade de France, o clima em Paris é de expectativa e apreensão. A cerca de 14 quilômetros do estádio, na Fanzone destinada aos torcedores do Liverpool, no Cours de Vincennes, a festa é barulhenta, ao som de "One Kiss Is All It Takes", de Dua Lipa, com muita cerveja e confiança. Estima-se que 70 mil ingleses vieram para curtir jogo ou a atmosfera da decisão, mas nem todos com ingresso na mão. Cerca de 20 mil entradas foram destinadas aos ingleses. Por ora, não há registro de confusão.

Animação e gente também não faltam na Fanzone do Real Madrid, que foi montada a poucos metros do Stade de France. Tem capacidade para cerca de 4 mil pessoas e está tão lotada, que a polícia não está mais permitindo o acesso de torcedores. Os organizadores fazem anúncios em som em espanhol e francês pedindo para que ninguém tente forçar a entrada, para evitar empurra-empurra e gente machucada. 

Entre cantos de apoio ao clube espanhol, chama a atenção a fúria com que os madrilistas reagiram à não contratação de Killian Mbapé pelo Real Madrid. Era para ir, mas não foi. Nos vagões do metrô, na Fanzone do Real Madrid e em grupos rumo ao estádio, um traço comum são as músicas em que o craque francês é ofendido. Alguns também usam camisetas em que o nome do  jogador do PSG aparece ao lado de um dedo indicador, gesto considerado bastante ofensivo na Espanha e em muitos países. Mbappé deixou para os minutos finais sua decisão de permanecer no PSG, ao lado de Messi e Neymar. O atacante era esperado no Santiago Bernabéu. 

Os franceses já começaram a montagem do palco para a apresentação do show antes do jogo, uma tradição nas finais da Liga dos Campeões. Quem se apresentará, este ano, será a cantora americana, de origem cubana, Camila Cabello. Por ora, tudo parece de acordo com a festa que o futebol deve sempre oferecer aos seus amantes. A polícia francesa está mais preocupada com a reação após a partida, quando haverá um ganhador e um perdedor. É com os perdedores que o policiamento de Paris está de olho, mais com os ingleses do que com os espanhóis, apesar da bronca com Mbappé.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.