Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Torcedores de Santos e Coritiba brigam nos arredores da Vila Belmiro e depredam UPA

Entorno do estádio se transforma em praça de guerra; ao menos um homem foi espancado e, segundo a Polícia Militar, 18 pessoas foram detidas

Ricardo Magatti, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2022 | 19h02

Os arredores da Vila Belmiro se transformaram em praça de guerra na tarde deste domingo, quando torcedores de Santos e Coritiba brigaram antes e durante o jogo entre as equipes, pelo Brasileirão. Ao menos um homem foi espancado e 18 foram detidos, segundo a Polícia Militar, que interveio no confronto com bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo. 

A PM afirmou que prendeu nove torcedores da Torcida Jovem, organizada do Santos, e outros nove da Império alviverde, uniformizada do Coritiba, responsáveis por brigar e fazer parte de "tumulto e vandalismo". Eles foram levados para o 7º Distrito Policial de Santos.

Nas imagens que circulam nas redes sociais, é possível ver um homem sendo espancado por torcedores do Coritiba com socos e pontapés. Ele ficou caído em uma das ruas no entorno da Vila Belmiro. Uma viatura da Polícia Militar foi atingida e danificada por pedras, bem como alguns ônibus da torcida do Coritiba e veículos estacionados na rua em que ocorreu a briga.

A briga se estendeu até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Central de Santos, para onde foram levados os que se feriram no episódio de violência. Parte do local foi depredado por torcedores, que continuaram o confronto na unidade de saúde. 

Nos vídeos, é possível ver os rastros de destruição no local, com cadeiras, vidraças e a fachada do local danificados. Bancos se transformaram em armas e foram arremessados durante a briga.

De acordo com a prefeitura de Santos, o atendimento na unidade de saúde já foi normalizado depois de a Guarda Civil Municipal (GCM), acionada pelo Centro de Controle Operacionais (CCO), ter ido ao local prestar apoio. A GCM também deu apoio à PM na condução de cinco suspeitos envolvidos na ocorrência, que foram atendidos na UPA Central, da unidade de saúde ao 7º DP.

A ocorrência está em andamento pelo DP e as investigações ficarão a cargo da Polícia Civil. Com base em imagens, filmagens e boletins de ocorrências, a Polícia Militar disse que enviará ofício ao Ministério Público de São Paulo para que o órgão apure e delibere a respeito das depredações e danos ao patrimônio público e privado.

As cenas de violências são resultado de uma rivalidade histórica entre maiores organizadas dos dois clubes. Integrantes da Império Alviverde, do Coritiba, tratam membros da Torcida Jovem e Sangue Jovem, do Santos, como inimigos. Estes aliados da Fanáticos, principal uniformizada do Athletico-PR e a maior rival da torcida coxa-branca. 

A briga começou assim que os ônibus com torcedores do Coritiba chegaram à Vila Belmiro para a partida. Eles foram atacados pelos santistas no entorno do estádio. Segundo a PM, os oito ônibus que trouxeram a torcida do time paranaense seriam escoltados e a torcida organizada visitante entraria no estádio antes dos torcedores da equipe mandante, como ocorre tradicionalmente em jogos com duas torcidas.

No entanto, de acordo com a PM, houve atraso dos ônibus da torcida Organizada do Coritiba no local definido para início da escolta policial. O comboio chegou ao estádio somente por volta das 11 horas, já no início da partida, momento em que havia concentração de torcedores santistas no entorno da Vila Belmiro.

Em campo, o Santos venceu o Coritiba por 2 a 1. O presidente Jair Bolsonaro assistiu à partida e recebeu mais vaias e xingamentos do que aplausos. Ele estava na Baixada Santista para passar o feriado de Páscoa.

O duelo deste domingo foi o primeira de uma série de três jogos entre as equipes. Na quarta-feira, Santos e Coritiba se enfrentam pela Copa do Brasil, no Couto Pereira. Na semana seguinte, voltam a medir forças na Baixada. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.