Fábio Motta/AE - 22/10/2011
Fábio Motta/AE - 22/10/2011

Torcedores do Corinthians partem para cima do trio de arbitragem no aeroporto

Clube divulgou em seu site oficial uma nota de repúdio condenando a ação dos torcedores

estadão.com.br com ESPN

07 de novembro de 2011 | 13h05

O árbitro gaúcho Jean Pierre Gonçalves Lima, que apitou a partida entre Corinthians e América-MG, passou por um sufoco no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Junto com os auxiliares, ele foi acuado por torcedores alvinegros quando estava esperando fazer a conexão para voltar ao Rio Grande do Sul. O juiz revelou que quem acabou levando a pior foi o bandeirinha Altemir Hausmann.

“Tivemos um probleminha com torcedores do Corinthians, mas nada de muito grave. Teve um contato físico sim, mas não comigo, com o Altemir”, disse Jean Pierre. Os torcedores do Corinthians viajaram de Uberlândia, local do jogo de domingo, para São Paulo no mesmo voo que o trio de arbitragem - Julio Cesar Rodrigues Santos também estava presente.

Jean Pierre preferiu não dar mais detalhes sobre o ocorrido e afirmou que ele e seus auxiliares estão averiguando o que farão sobre o incidente. “Preferimos dar informações mais detalhadas mais tarde”, explicou. A delegacia de polícia que fica no próprio aeroporto explicou que, apesar do tumulto, não foi feita ocorrência no local.

Mas o Corinthians agiu rápido e divulgou em seu site oficial uma nota de repúdio condenando a ação dos torcedores. Jean Pierre teve uma arbitragem tumultuada na partida em Uberlândia, pelo Campeonato Brasileiro, com pênaltis polêmicos e reclamações dos dois lados. Veja abaixo a íntegra da nota do Corinthians.

"Em relação aos fatos ocorridos na manhã desta segunda-feira (07), o Sport Club Corinthians Paulista repudia toda e qualquer forma de violência. Este não é o caminho para decisão do ponto de vista esportivo ou de qualquer natureza.

Quando um atleta do maior rival do Corinthians foi agredido por torcedores do próprio clube, o Corinthians além de repudiar o ocorrido foi a público através de seu presidente, Andrés Sanchez, para deixar claro que apoiava a decisão de paralisação do Campeonato e comunicou sua posição ao presidente do Sindicato de Atletas do Estado de São Paulo, Rinaldo Martorelli.

O futebol tem as instituições necessárias para que as posições do clube possa ser comunicada evitando qualquer ato de violência."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.