Paulo Lopes/Futura Press
Paulo Lopes/Futura Press

Torcedores do Corinthians protestam no Parque São Jorge e cobram Andrés Sanchez

Presidente foi o alvo principal da ação da torcida, que quer ver as contas da arena com clareza

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2018 | 20h40

Como prometido, torcedores do Corinthians tomaram conta do Parque São Jorge na noite desta sexta-feira e fizeram uma grande manifestação de protesto contra a diretoria, em especial o presidente Andrés Sanchez, o diretor de marketing Luís Paulo Rosenberg e conselheiros. Cerca de 800 corintianos estiveram presentes com bandeiras, faixas e entoaram cânticos de ordem. Fazia tempo que a direção corintiana não sofria tanta pressão. 

+ Após gols de centroavante, Romero 'se oferece' para substituir Jonathas

+ Corinthians descarta novo zagueiro e quer substituto para Rodriguinho

+ Podcast Corinthians: bastidores transformam o clube em um caldeirão

A manifestação transcorreu de forma pacífica, tanto que poucos policiais estavam no local e não foi registrado nenhum incidente. O presidente da Gaviões da Fiel, Rodrigo Gonzalez Tapia, conhecido por Digão, explicou o motivo do protesto. “O estopim nem sequer foi o desmanche que a diretoria está fazendo no time, mas o fato é que não estamos vendo as contas do estádio com clareza. A gente solicitou transparência nas contas e isso não está acontecendo. Tivemos reunião com o Andrés e mesmo assim não tivemos resposta alguma”, explicou. 

Além da Gaviões da Fiel, maior organizada do clube, outras torcidas engrossaram o coro no evento e aumentaram o protesto no começo da noite – atrasou por causa do trânsito na região. O Estado apurou que tanto Andrés quanto Rosenberg não estavam no clube no momento do ato, embora o manifesto tenha ocorrido no Parque São Jorge e não no CT Joaquim Grava justamente para que a diretoria ouvisse a reclamação. Durante a manifestação, gritos de ordem e pedidos de transparência se repetiram.

“Andrés, me diz como é que é, eu não aceito essa omissão, as contas você não viu, o COF nunca fiscalizou, vai embora do Corinthians, por favor”, foi uma das broncas dos corintianos.

Conselheiros também foram cobrados. “Eu não sou conselheiro, pago ingresso caro. E no setor Oeste (do estádio), é cortesia para c...”, gritaram. “Rosenberg, seu falastrão, pega suas coisas e ‘vaza’ do Timão!!!”, foi outro recado. 

Na quarta-feira, a Gaviões soltou nota em suas redes sociais com diversos questionamentos que a diretoria deveria responder. Caso contrário, os torcedores iriam protestar. Horas depois, o clube anunciou uma entrevista com Andrés, o diretor de marketing Luís Paulo Rosenberg e membros da diretoria financeira do Corinthians.

Os dirigentes deram cerca de uma hora de entrevista, mas as respostas não agradaram aos torcedores. Dentre outros questionamentos, os membros das organizadas quiseram saber como está o pagamento da Arena Corinthians, a venda de naming rights, o momento financeiro do clube e a negociação de um patrocínio master. E ainda o que esperar do elenco após a saída de oito jogadores do time. 

As organizadas disseram que ontem não foi o último protesto. “Continuaremos cobrando até que tenhamos uma resposta para tudo que queremos saber”, completou Digão.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.