Jaci Silveira/Cruzeiro
Jaci Silveira/Cruzeiro

Torcedores do Cruzeiro ameaçam Thiago Neves de morte em conversa com presidente

'Olha aqui, nós queremos pegar os jogadores mesmo', brada torcedor contra o cartola Wagner Pires de Sá

Redação, Estadão Conteúdo

30 de novembro de 2019 | 19h56

Um grupo de torcedores do Cruzeiro ameaçou o meia Thiago Neves de morte em conversa com o presidente do clube, Wagner Pires de Sá. Um vídeo do encontro entre o dirigente e os cruzeirenses, ocorrido na entrada do clube poliesportivo do Barro Preto, tem circulado nas redes sociais e em grupos de integrantes da torcida.

A ameaça surgiu logo no início do diálogo. Os torcedores se mostraram muito irritados com Thiago, que perdeu um pênalti na derrota por 1 a 0 para o CSA, quinta-feira, no Mineirão - resultado que impediu o Cruzeiro de sair da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Os membros da torcida chegaram a dizer que o jogador cometeu o erro de propósito.

"Pelo amor de Deus, não deixa isso acontecer, não! Mas se esse Thiago Neves continuar fazendo isso, vai ter... Você já ouviu falar no futebol brasileiro que teve morte de jogador porque um time foi rebaixado? Nunca, né?! Vai acabar acontecendo isso...", afirmou um torcedor.

Depois da derrota para os alagoanos, vazou a gravação de uma conversa entre Thiago Neves e Zezé Perrella, presidente do Conselho Deliberativo e gestor do futebol do clube, em que o jogador pede o pagamento de salários atrasados.

A conversa dos torcedores com o presidente do Cruzeiro ocorreu em um tom amistoso, mas o repertório de ameaças foi vasto. Um dos interlocutores do dirigente disse de maneira clara que existe a intenção de agredir os jogadores.

"Do mesmo jeito que a gente pega atleticano de porrada, briga no Brasil inteiro, nós vamos começar a brigar com jogador", afirmou ele. "Olha aqui, nós queremos pegar os jogadores mesmo! Isso que eles estão fazendo com a gente é covardia."

O Cruzeiro vai jogar na segunda-feira contra o Vasco, em São Januário, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em caso de derrota, o time ficará mais perto do primeiro rebaixamento para a Série B de sua história. A partida contra os cariocas terá a estreia do técnico Adilson Batista, que foi demitido do Ceará - concorrente do clube mineiro na briga contra a queda - para substituir Abel Braga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.