Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Torcedores do Liverpool 'esquecem' Coutinho após saída para o Barcelona

Jogador da seleção brasileira não é alvo de protestos na chegada à cidade do seu ex-clube

Almir Leite, enviado especial a Liverpool, O Estado de S.Paulo

02 Junho 2018 | 07h00

O que passou, passou. É desta maneira que torcedores do Liverpool encaram a perda de Philippe Coutinho. Alguns ainda não se conformam com a “traição”. A maioria, porém, já superou a raiva sentida quando ele se transferiu para o Barcelona, no início do ano, e defende a tese da “bola pra frente”. Coutinho ficará na memória como um excelente jogador, mas os ídolos agora são Mané, Firmino e, acima de todos, Salah.

+ Seleção chega a Liverpool para amistoso após viagem tranquila de trem

+ Thiago Silva herda camisa 2 de Daniel Alves e Marcelo vestirá o número 12 na Copa

Essa foi a visão dada por Ray Jones, fanático torcedor do Liverpool, enquanto se preparava para a sua terceira cerveja no The Park, pub que fica em frente à entrada principal de Anfield Road. Aos 65 anos, simpático, depois de dizer que só falaria com o repórter se este lhe dissesse quem era o personagem de uma das pinturas que forram as paredes do local – é de Kenny Dalglish, atacante escocês que defendeu os Reds de 1977 a 1990, treinou o time, exerceu funções executivas e atualmente é diretor –, resumiu o que, segundo ele, os torcedores pensam de Coutinho.

“Na época da transferência, ficamos com muita raiva. A gente precisava dele na Liga dos Campeões e ele foi embora. Esqueceu toda a história que tinha aqui por causa de dinheiro. Mas agora o tempo passou e nosso ídolo é Salah. Só perdemos a Liga porque machucaram ele”, afirmou. Ray não crê em protestos fortes contra Coutinho neste domingo, no amistoso entre Brasil e Croácia, que marcará o retorno do meia à cidade. Mas acha que aparecerão faixas de desaprovação.

Outro torcedor, Ian Tilley (que pelo jeito já havia tomado bem mais de três cervejas), também é complacente com Coutinho. “Ele nos deu muitas alegria quando esteve por aqui. É um grande jogador, não vamos negar”, admite.

“Gostamos dele, mas agora temos Firmino”, arremata a garçonete Lorraine, apontando para um cartaz em que o brasileiro aparece ao lado de Salah, Mané e do técnico Klopp.

Detalhes: o Estado não localizou nenhuma foto ou pintura de Coutinho entre as centenas nas paredes do pub. E o repórter acertou o nome de Dalglish após três tentativas. Com a ajuda de Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.