Torcedores ilustres ajudarão a pagar salário no Botafogo

Jogadores ficam animados ao saber da atitude destes 'benfeitores' e prometem lutar em campo para afastar o time da zona de queda

Estadão Conteúdo

13 de agosto de 2014 | 20h21

Um grupo de torcedores ilustres vai contribuir para amenizar um pouco a crise vivida pelo Botafogo. Na manhã desta quarta-feira, os jogadores ficaram sabendo que esses "benfeitores" vão ajudar o clube no pagamento dos salários atrasados. A notícia renovou o ânimo dos atletas, que havia se desgastado ainda mais depois de uma polêmica que ocorreu no dia anterior.

Os jogadores do Botafogo tinham a expectativa de receber ao menos um de três meses de salários atrasados em CLT, na terça-feira. A verba, de R$ 2,5 milhões, para o pagamento havia sido liberada graças à uma ação do Sindiclubes. No entanto, seis atletas - Lucas, Bolívar, André Bahia, Marcelo Mattos, Tanque Ferreyra e Bolatti - foram informados que ficariam fora do pagamento, porque o montante não seria suficiente para todos. Fato que aumentou o mal estar no grupo.

O zagueiro Bolívar, um dos líderes da equipe, admitiu ter ficado chateado por ter sido preterido do pagamento inicialmente, mas garantiu que o time ficou mais aliviado depois da promessa de que os salários serão quitados pelo grupo de torcedores.

"Fomos comunicados que pessoas influentes ligadas ao Botafogo vão equacionar este problema. Então, já foi possível notar que o ambiente foi de mais alegria depois disso. Acho que agora as coisas vão se normalizar. Temos total confiança de que estas pessoas vão regularizar. São apaixonados pelo clube e, se podem ajudar", afirmou o zagueiro, após o treino desta quarta-feira.

Além da crise financeira, o Botafogo passa por má fase dentro de campo. O clube está na 17ª colocação do Campeonato Brasileiro, com 13 pontos. Seu próximo desafio está marcado para o próximo domingo, contra o Fluminense, no estádio Mané Garrincha.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBotafogobrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.