Ciro Campos/Estadão
Ciro Campos/Estadão

Torcedores pagam R$ 4,8 mil para jogar com Rogério Ceni

Fanáticos são-paulinos dividiram o gramado do Morumbi com o ídolo

CIRO CAMPOS, O Estado de S. Paulo

26 de junho de 2015 | 21h13

Na noite desta sexta-feira Rogério Ceni realizou o sonho de 44 torcedores são-paulinos que puderam atuar ao lado do goleiro em duas partidas festivas no estádio do Morumbi. O capitão atuou na linha como jogador extra das equipes, se posicionou como volante, fez preleção, cobrou falta, deu lançamentos e, ao fim, ainda bateu pênaltis em cada um dos fãs que pagaram R$ 4,8 mil pela oportunidade.

Rogério Ceni chegou a ser dúvida para o evento. No começo desta semana o goleiro estava com um estiramento na coxa direita, lesão que o tirou da partida contra o Avaí, no domingo. O jogador fez tratamento intensivo para se recuperar, voltou aos treinos na quarta-feira e também está confirmado para o clássico de domingo, quando enfrenta o Palmeiras, no Allianz Parque, pelo Campeonato Brasileiro.

Na fria noite de sexta-feira, Ceni teve a companhia do atacante Aloísio Chulapa como o jogador extra da equipe. A partida toda durou 30 minutos e cada um deles jogou 15 minutos por um time diferente. De camisa preta de goleiro, Rogério Ceni jogou como volante e fez a alegria dos torcedores. Um dos goleiros ainda defendeu o pênalti durante o jogo e ganhou um abraço do ídolo.

Na única falta que teve para cobrar, Ceni preferiu cruzar na área para o cabeceio de um companheiro. Quando o time dele tinha uma falta contra, o capitão são-paulino não se importou em ficar na barreira e ajudar na organização do posicionamento. Na hora dos pênaltis o goleiro teve bom aproveitamento para cobrar. Geralmente de ''cavadinha'' ou em chutes fracos no canto, os jogadores amadores não conseguiram evitar os gols. A única cobrança que Ceni tentou defender foi a de Aloísio Chulapa.

O clube tentou simular a atmosfera completa de uma partida oficial, com narrador, placar eletrônico, uniformes oficiais, hino nacional e preleção. Quem apitou foi Alfredo Loebling, árbitro aposentado. Ao fim do jogo, Ceni ainda concedeu uma palestra para os torcedores em um auditório na sede social do clube. Os são-paulinos foram levados do campo até o salão dentro de uma limusine e tiveram toda a estadia no Morumbi gravada em DVD.

PROJETO

A partida com a presença de Ceni é a modalidade mais cara do projeto "Vou Jogar no Morumbi", organizado pela Passaporte FC, agência de viagens do São Paulo. Em abril, os torcedores esgotaram em três dias as vagas para as duas partidas com a presença de goleiro, que foram realizadas na noite desta sexta-feira. As outras duas opções do projeto são para jogar com ex-atletas como Careca e Pita (por R$ 2.090), fora uma modalidade com jogo somente entre torcedores (o custo é de R$ 1.490).

Todas as partidas serão realizadas neste fim de semana e vão reunir 440 torcedores. O faturamento bruto do São Paulo com a promoção do evento é de cerca de R$ 865 mil e o sucesso da procura por pacotes para jogar com Rogério Ceni já leva o clube a planejar uma nova edição para dezembro.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.