Torcedores são alvo de furtos de ingressos no Mineirão

Segundo relatos de torcedores, os furtos ocorreram nas filas que se formaram nos acessos ao estádio antes do início do jogo

Gonçalo Júnior - enviado especial a Belo Horizonte, O Estado de S. Paulo

21 de junho de 2014 | 16h07

Diversos torcedores relataram furtos de ingressos na entrada do Mineirão para a partida entre Argentina e Irã. Segundo eles, os furtos ocorreram na esplanada do estádio, local com policiamento ostensivo do Batalhão da Copa. As vítimas se acumulavam em frente a um posto de resolução de problemas da Fifa, mas alterados emocionalmente, não quiseram se identificar. As ocorrências foram confirmadas pela Polícia Militar.

Um rapaz de 30 anos percebeu que as entradas haviam sido tiradas de seu bolso quando ia entrar no estádio. "A Fifa mandou que eu fizesse um Boletim de Ocorrências na Lagoa da Pampulha. Mas disse que não me colocaria para dentro do estádio, mesmo com ingresso nominal", afirmou o torcedor. Carlos Pereira Santos, outro torcedor brasileiro, enfrentou problema semelhante. "Eu estava na fila, esperando mais uma hora, quando houve o começo de um tumulto. Alguém me empurrou e tirou o ingresso da minha mão. Estou desesperado", disse.

Em outro ponto do estádio, três torcedores argentinos pediram ajuda da Polícia Militar alegando furto de ingressos na avenida Antonio Abrahão Karam. Eles fizeram um boletim de ocorrência e se dirigiram à bilheteria para tentar bloquear as entradas.

Cerca de quatro mil torcedores argentinos sem ingresso foram barrados nos quatro pontos de bloqueio montados nas imediações do estádio. O número exato não foi confirmado pela Polícia Militar. O maior deles foi na chegada pela avenida Antônio Carlos, 1,5 quilômetro distante da arena. Não houve incidentes ou tentativa de atravessar a forte barreira policial montada nos pontos de bloqueio, a chamada zona Fifa. No último dia 15, um pequeno grupo de torcedores invadiu um dos setores do Maracanã para tentar acompanhar a partida da Argentina contra a Bósnia, na estreia da equipe de Messi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.