Torcedores usam estatuto para tirar Mustafá

O departamento jurídico do Palmeiras terá uma missão pouco convencional nos próximos dias. Apresentar a defesa do presidente do clube para que uma liminar não o tire do cargo para o qual foi eleito em janeiro, pela sexta vez consecutiva. O motivo de uma ação judicial contra Mustafá Contursi é o não cumprimento de alguns artigos do Estatuto do Torcedor, sobretudo no que diz respeito à segurança e higiene."É preciso deixar bem claro que a ação não é contra o Palmeiras. O Palmeiras é uma vítima. Vamos entrar amanhã com uma ação contra o presidente da agremiação (Mustafá Contursi)", disse o advogado João Batista Castro Gimenez, que dará entrada com a ação nesta quinta-feira no Fórum da Lapa, em São Paulo. "Se a ação for acolhida e concedida, acredito que em uma semana, no máximo 15 dias, ele (Mustafá Contursi) deixe o cargo." João Batista Castro Gimenez, de 46 anos, conta que foi procurado por um grupo de torcedores que se sentem lesados no estádio Palestra Itália. "Se eu for mencionar cada irregularidade encontrada, teríamos de ficar conversando por mais duas horas, mas posso garantir que vendo as fotos e os documentos que estamos coligindo nem você vai mais ao estádio", disse o advogado, um palmeirense que deixou de freqüentar o Palestra por "medo de ser alvo de uma bomba" ou coisa perecida.Os torcedores que procuraram João Batista Castro são o administrador de empresas João Antônio Comino, o dentista Moacir Del Nero de Castro Júnior (nenhum parentesco com o conselheiro Marco Polo Del Nero) e os profissionais autônomos Edvaldo José dos Santos e Silvio Donatelli."Somos torcedores do Palmeiras cansados de ver e ter de conviver com tanta coisa errada. Eu particularmente já fui jogador de basquete do Palmeiras e sócio do clube, mas deixei de ser sócio há mais de quatro anos por não concordar com o que o Mustafá está fazendo com o Palmeiras", disse João Antônio Comino, de 42 anos, que falou com a Agência Estado pouco antes de seguir para o Anacleto Campanella para ver "se Deus quiser uma vitória do Palmeiras" contra o São Caetano.João Antônio Comino revelou ter feito diversas fotografias do estádio recentemente, no jogo contra o Londrina (no último dia 19), registrando condições precárias com as quais têm de se deparar os freqüentadores das numeradas. "Aquilo está cheio de gambiarras (ligações elétricas irregulares), trincas sob os assentos, certamente reflexo de infiltrações antigas com as quais ele (Mustafá Contursi) jamais se preocupou. Os banheiros são fedidos, sujos. Agora, se lá na numerada está assim, imagine onde ficam as organizadas." O torcedor diz que ele e seus colegas que resolveram entrar com a ação na Justiça esperam no mínimo um afastamento temporário de Mustafá Contursi da presidência do clube: "Pelo menos por 180 dias, aí vamos ver como é que fica sem ele."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.