Paulo Galdieri/AE
Paulo Galdieri/AE

Torcida ainda não aparece para ver a seleção brasileira diante da China

Pouca gente está nos arredores do Estádio do Arruda para ver o amistoso desta noite

ALMIR LEITE e PAULO GALDIERI,

10 de setembro de 2012 | 20h04

RECIFE - É possível que o Estádio do Arruda acabe recebendo bom público. Mas até as 19h30 desta terça-feira, 1h30 após a abertura dos portões, pouquíssimos torcedores estavam nas arquibancadas e outras dependências da arena do Santa Cruz aguardando a partida da seleção brasileira contra a China. E, quem chegou, o fez em silêncio. Em grupos pequenos, limitavam-se a conversar enquanto esperam o início do amistoso.

O baixo público espantou Marcelo de Azevedo, torcedor do Santa e, segundo ele, frequentador habitual do Arruda. “Rapaz, já era para estar mais cheio. Normalmente, em jogo do Santa Cruz tem mais gente no estádio a essa hora. Mas o público é diferente do de jogo de clube. E mesmo quando é o Santa enche quando falta uma hora para o jogo'', disse.

Foram colocados à venda 55 mil ingressos, mas até ontem apenas 17.180 haviam sido adquiridos. Durante esta tarde, comentou-se que as vendas chegaram a 40 mil entradas, mas nem a CBF nem a Federação Pernambucana haviam confirmado até o início da noite.

Por volta das 19h30, as bilheterias do Arruda registravam pouco movimento de torcedores em busca de ingressos.

O teste para a Copa do Mundo funcionou parcialmente. Nas ruas próximas ao Arruda não havia ambulantes por volta das 17h30, mas alguns moradores dos arredores vendiam refrigerante, cerveja e salgadinhos das janelas de suas casas. E dentro do estádios os vendedores de água, refrigerante, biscoitos, balas e doces trabalharam livremente.

O trânsito em direção ao estádio estava complicado desde as 16 horas, mas por conta do movimento normal na cidade. As barreiras montadas pela Polícia Militar, Guarda Civil e autoridades do trânsito causou alguns transtornos nas estreitas ruas de acesso ao estádio, mas de maneira geral o esquema funcionou.

FALTA ESTRUTURA - O público que chega para acompanhar o amistoso entre Brasil e China no estádio do Arruda, nesta segunda-feira, está enfrentando problemas de organização, como a falta de entrada para cadeirantes. O acesso original do local destinado a essa finalidade serve agora para a chegada de jornalistas e fotógrafos.

A reportagem flagrou a tentativa de um cadeirante entrar no estádio. A organização não sabia informar a ele qual é o novo acesso disponibilizado.

durante o amistoso entre Brasil e África do Sul no Morumbi, na sexta-feira, os torcedores também encontraram problemas. Muitos desistiram de acompanhar a partida pela demora em retirar os ingressos comprados pela internet.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolseleção brasileira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.