Torcida apóia Emerson Leão, mas pede novos jogadores

Técnico santista gosta do empenho do time no clássico contra o Palmeiras e destaca a "união" dos atletas

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

20 de janeiro de 2008 | 19h57

As previsões de derrota por goleada diante do Palmeiras não se confirmaram e o Santos até teve oportunidade para ganhar o clássico deste domingo, na Vila Belmiro, mas não foi o bastante para a torcida que cobra da diretoria a contratação de jogadores. "Marcelo Teixeira... com esse time você tá de brincadeira", "Não é mole não, com esse time Libertadores não dá não" e o costumeiro queremos jogador foram os coros cantados pelos torcedores após o jogo. E quando Leão se preparava para a coletiva de imprensa viu torcedores batendo nas paredes de vidro do centro de imprensa e protestando contra a baixa qualidade da equipe. Veja também: Classificação Calendário / Resultados Crônica do jogo: Santos 0 x 0 Palmeiras "Gostei do time, mas não é que desejamos para o futuro", disse o treinador, referindo-se às dificuldades que teve para armar o time para não perder o segundo jogo seguido no Campeonato Paulista. "No vestiário vi escrito embaixo de uma fotografia a frase "união e dedicação". Tivemos as duas coisas e é o necessário se falta qualidade." Leão revelou que os dirigentes santistas estão trabalhando para contratar reforços, mas enfrentam enormes dificuldades. "Ontem [sábado], quase aconteceu, mas não vai acontecer mais. Agora vamos ver para o futuro. Hoje [domingo] tive um telefonema de um presidente perguntando se eu contava com Kléber Pereira. Falei que contava e perguntei se ele tinha algo oferecer. Tem clube com dinheiro, mas está faltando mercadoria." A esperança do técnico santista é que na reapresentação dos jogadores, hoje às 16h, no Centro de Treinamento Rei Pelé, Kléber, que raramente sofre contusões, supere as dores na coxa direita, e que Rodrigo Souto tenha melhorado do incomodo na panturrilha esquerda. "E espero a chegada de outros jogadores, na medida da oportunidade." Leão disse que ainda não sabe quantos garotos do time da Copa São Paulo e quando serão promovidos. "Eles nem voltaram para Santos ainda. Claro que assistir aos jogos e vou conversar com o técnico da categoria, mas não vou comentar nada", afirmou. "Preciso saber se eles já tiraram férias, se bem que garoto quer é jogar, e por isso não sei se eles sobem agora ou daqui a 15 dias." Sobre as substituições, o técnico explicou que tirou Evaldo porque o zagueiro estava indeciso é insistia em sair tocando a bola. "Pedi para rebater a bola e jogar mais simples, mas como ele não mudou, pus o Domingos é rebatedor." Leão voltou a elogiar o futebol de Betão, destacando a cobertura que ele fez pela esquerda, quando Carlinhos avançava, e Marcinho Guerreiro.

Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCEmerson Leão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.