Torcida atleticana não esconde tristeza

O otimismo nervoso da torcida atleticana deu lugar à tristeza após a derrota do Atlético Paranaense para o São Paulo e o fim do sonho de conquistar pela primeira vez a Libertadores. Os torcedores se reuniram principalmente em bares e restaurantes da cidade para acompanhar o jogo pela televisão e incentivar o time. A maior concentração de público estava na Arena da Baixada, onde foram instalados três telões. Os ingressos, a preços populares - R$ 7 homens e R$ 2 com bônus na aquisição de um jornal, mulheres e crianças não pagaram - atraíram cerca de nove mil torcedores. Cada torcedor doou também um agasalho, que foi destinado para o Instituto Pró Cidadania de Curitiba. A PM mobilizou um efetivo de 250 homens, e o clube 150 seguranças, esquema semelhante ao dia de jogos.Ao final da partida um clima de tristeza tomou conta da cidade, apesar de resignação com a campanha do time. O torcedor Elias Borges que assistiu o jogo na Arena lamentava pela perda do título, e disse que se Fabrício tivesse convertido o pênalti no final do primeiro tempo, a história seria diferente. "Se o jogo virasse empatado o Atlético teria surpreendido o São Paulo e conquistado o título".Para Alenir Carvalho, que também compareceu na Arena, "já valeu a pena ter chegado à final. Qual o time do Paraná conseguiu chegar a uma final da Libertadores", cutucou referindo-se ao rival Coritiba. "Só achei que 4 a 0 foi muito", comentou. Para o ambulante Rubens Barbosa, que vendia gorros de lã a R$ 10 e faixas do Atlético campeão da Libertadores, a R$ 5, que ficaram encalhadas, a torcida não confiou muito na vitória do time. "A venda foi fraca e senti que a torcida não acreditava muito na conquista da Libertadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.