Torcida corintiana faz festa para Ronaldo e ironiza Flamengo

A torcida corintiana celebrou a chegada de Ronaldo ao Parque São Jorge, nesta sexta-feira, e aproveitou para ironizar o Flamengo, clube ao qual Ronaldo fez juras de amor antes de fechar com o Corinthians. "O Ronaldo é nóis, mano. Ele é nosso, pode chorar, Flamengo", disse Fred Duahet, 31 anos, um dos 6.000 torcedores que foram ao clube receber o atacante. A mais nova estrela do elenco corintiano pisou o gramado da Fazendinha, o modesto estádio do clube, por volta do meio-dia, após ser oficialmente apresentado pelo presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, em entrevista coletiva. Ronaldo, que assinou contrato por um ano, foi recebido por uma salva de fogos e desfilou cercado por bandeiras das torcidas organizadas. Aparentando estar fora de forma, o atacante faz algumas embaixadas com a bola e voltou a afirmar que é "mais um louco do bando", em alusão a um dos cantos da torcida. Depois, deu uma volta em torno do gramado e deixou o campo. A breve aparição, no entanto, foi suficiente para causar no público uma comoção parecida com a que se vê quando o próprio time entra em campo em seus jogos. A torcida alternava cantos frequentemente ouvidos nos estádios com outros mais novos, alguns parodiando o Flamengo. "Eu frequento o Corinthians desde o tempo que os rapazes levavam as moças para passear de barco pelo rio Tietê", disse Clotilde Bittencourt, 81 anos, sobre o rio que passa ao lado da sede do clube. "Eu já vi muito jogador chegar aqui, mas nunca vi nada parecido com essa festa." A festa para Ronaldo também foi marcada pela presença de muitas crianças no público. "Ele disse que é flamenguista, mas vai virar corintiano logo, logo. Não tem jeito", disse Alisson Bozetti, que não conseguiu convite e pulou um muro e um portão para ver o ídolo. "O Ronaldo vai dar a volta por cima, e o Corinthians também", disse Robert Ferreira, 14 anos, referindo-se ao fato de o Corinthians ter disputado a segunda divisão do Campeonato Brasileiro em 2008. "Um vai ajudar o outro, vai dar certo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.