Torcida demite técnico e afasta diretor

Após o vexame de domingo (goleada por 5 a 0 para o Atlético-PR, no Pacaembu), a Gaviões da Fiel pressionou e a diretoria corintiana se rendeu de novo à principal torcida organizada do clube e resolveu demitir o técnico Oswaldo de Oliveira e afastar Antonio Roque Citadini da vice-presidência de futebol do clube. Paulo Angioni, recém-contratado para a diretoria executiva de futebol, será o novo homem forte do departamento. Tite, que já foi preferido de Santos e Palmeiras, pode ser contratado. Mário Sérgio também está entre os cotados.Oswaldo, que estava em sua residência no Rio, foi comunicado da demissão pelo telefone. A justificativa da diretoria para a demissão foi que o técnico, em pouco mais de dois meses, não conseguiu dar uma ?nova cara ao time?, que passou vexame no Paulista (quando quase foi rebaixado) e continuou sua sina de fracassos no Brasileirão e na Copa do Brasil. Para substituir Oswaldo, o nome mais forte é Tite, atualmente sem clube. O gaúcho afirmou ao Jornal da Tarde que até a noite desta segunda-feira ainda não havia sido procurado por ninguém do Corinthians. Mas lembrou que, em fevereiro, quando dirigia o São Caetano, recebeu uma proposta do clube alvinegro e só não aceitou porque estava negociando com um time do Japão.?Para mim, seria um grande negócio naquela época ir para o exterior, por isso não aceitei o convite (do Corinthians)?, disse Tite, que acabou não se acertando com os japoneses. ?Não quero voltar a falar agora em hipóteses até que, de fato, haja algo concreto. Boatos já me colocaram no Santos e até no Palmeiras, na semana passada. Criei uma expectativa e ela não se confirmou. Não quero que isso se repita?, completou o gaúcho.Geraldo Delamore, amigo de Tite e que costuma acompanhá-lo nos clubes por onde o treinador passa (Delamore é preparador físico), afirmou que Tite estaria propenso a aceitar o provável convite do Corinthians. Sabe-se que Tite, desempregado, não faria grandes exigências, como fez em maio do ano passado para assumir o São Paulo. Na época, o clube paulista procurava um substituto para o mesmo Oswaldo de Oliveira. Mas Tite pediu alto (quase R$ 200 mil) e o acerto não ocorreu. Meses depois, Tite foi para o São Caetano para receber R$ 80 mil.Outro nome muito bem cotado no Corinthians é Muricy Ramalho, que, ironicamente, foi o substituto de Tite no Azulão. A contratação de Muricy, porém, estaria condicionada ao sucesso do time dele na Libertadores. Nesta terça-feira, o Azulão joga a segunda partida das quartas-de-final do torneio contra o Boca Juniors, na Argentina, Na primeira partida, houve empate em 0 a 0. Se o São Caetano não passar pelo Boca, o Corinthians, através agora de Paulo Angioni, vai atrás de Muricy.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.