CRISTINA QUICLER/ AFP
CRISTINA QUICLER/ AFP

Torcida do Betis arremessa barra em jogador do Sevilla e clássico é suspenso

Partida era válida pela Copa do Rei e termina ainda no primeiro tempo após Joan Jordán ser atingido no gramado

Redação, Estadão Conteúdo

15 de janeiro de 2022 | 20h08

Uma agressão feita pela torcida do Betis forçou o fim do clássico de Sevilha, na região da Andaluzia, contra o Sevilla precocemente neste sábado. O jogo válido pelas oitavas de final da Copa do Rei terminou ainda no primeiro tempo porque o meio-campista Joan Jordán, do Sevilla, foi atingido por um mastro de plástico, arremessado pela torcida mandante, do Betis, que estava atrás do gol.

Logo após as comemorações do gol olímpico de empate do Betis, um torcedor arremessou uma barra de plástico em direção ao campo e atingiu a cabeça de Joan Jordán, meio-campista do Sevilla. O jogo ficou paralisado por alguns minutos por conta do incidente. Os ânimos ficaram exaltados tanto dentro de campo quanto fora dele. Seguranças precisaram criar um cordão de contenção no setor de onde o objeto foi arremessado, no qual estava presente a torcida mandante.

Alguns minutos após o tumulto causado pela agressão, os jogadores e comissão técnica do Sevilla decidiram entrar para os vestiários, enquanto que os atletas do Betis esperaram no gramado. O regulamento prevê que, se o médico do Sevilla disser que Jordán não possui condições de jogo, a partida deve ser suspensa. E assim foi feito. Os visitantes se recusaram voltar para o jogo e a partida precisou ser interrompida.

Ao fim de cerca de meia hora de espera, a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) confirmou em nota que o jogo estava suspenso. "Está suspenso o jogo das oitavas de final da Copa do Rei entre Betis e Sevilla. A RFEF condena qualquer ato de violência nos locais de jogo", publicou a organização em seu Twitter oficial.

Com a suspensão da partida, o empate (1 a 1) que prevalecia no placar até o momento da agressão não deverá ser desconsiderado. O clássico deverá ser remarcado para que os minutos restantes sejam jogados. A expectativa é que o novo confronto ocorra a portas fechadas, novamente no estádio Benito Villamarín. A decisão ainda será tomada pelo Comitê de Competição e há possibilidade de alteração do palco de jogo.

Durante o confronto, o Betis chegou a colocar uma mensagem para seus próprios torcedores no telão do estádio: "Desde o início da temporada 2021-2022, o Betis tem sido denunciado pelas autoridades em cada uma das partidas disputadas no estádio Benito Villamarín, considerando que das arquibancadas foram proferidos cânticos que poderiam ser sancionados sob as disposições do regulamento atual em matéria de combate à violência, racismo, xenofobia e intolerância no esporte".

Um acontecimento parecido já havia acontecido no clássico de Sevilha em 2007 por um jogo também da Copa do Rei. Na ocasião, o técnico Juande Ramos, do Sevilla, foi atingido por uma garrafa plástica atirada das arquibancadas e chegou a ficar inconsciente por alguns momentos. O treinador deixou o campo de maca, e a partida precisou ser interrompida.

GOLAÇOS NO PERÍODO EM QUE A BOLA ROLOU

Como já era de se esperar, Betis e Sevilla protagonizaram um jogo quente desde os primeiros minutos. Com o mando da partida, o Betis começou superior no jogo e teve as melhores chances. Ainda assim, o primeiro gol foi do Sevilla, aos 35 minutos, quando o time conseguiu criar sua primeira oportunidade clara de gol. Oliver Torres ganhou de Moreno e tocou para Papu Gómez na entrada da área. O argentino ajeitou o corpo e bateu no cantinho, marcando um golaço para colocar o Sevilla em vantagem.

O Betis conseguiu reagir rapidamente, com um gol olímpico histórico marcado por Nabil Fekir. Aos 39 minutos, o meio-campista francês cobrou escanteio que atravessou toda a extensão do gol e entrou na segunda trave, encobrindo o goleiro do Sevilla.

OUTROS JOGOS

Outros três times garantiram classificação para as quartas de final da Copa do Rei neste sábado. O Mallorca superou o Espanyol por 2 a 1 e avançou no torneio. O placar foi o mesmo pelo qual o Rayo Vallecano eliminou o Girona. Já o Cádiz precisou dos pênaltis (vitória por 4 a 2) para eliminar o Sporting Gijón, após empate sem gols no tempo regulamentar e na prorrogação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.