Natacha Pisarenko/AP
Natacha Pisarenko/AP

Torcida do Boca Juniors saúda Riquelme e insulta Maradona

Meia anunciou que não irá mais vestir a camisa da seleção argentina, enquanto o ex-jogador for o técnico

Reuters

16 de março de 2009 | 10h22

Torcedores do Boca Juniors dedicaram seu apoio a Juan Román Riquelme e trataram como traidor o técnico da seleção argentina de futebol, Diego Maradona, após a vitória da equipe portenha no domingo sobre os rivais do Argentinos Juniors por 3 a 0 no estádio de La Bombonera, pela sexta rodada do torneio Clausura.

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Riquelme anunciou na semana passada que não jogaria mais na seleção por, segundo ele, não compartilhar dos mesmos "códigos" que Maradona, que não foi ao estádio para ver o time de coração de sua paixão.

"Não se quebram os códigos", estava escrito em uma de tantas bandeiras que deram apoio ao Riquelme e trataram de "traidor" Maradona, que em uma entrevista recente comentou os aspectos negativos de Riquelme nas partidas.

Apesar de ter acertado uma bola no travessão, Riquelme pareceu dar razão ao Maradona ao não se movimentar na partida.

O Boca se impôs com 3 x 0 com gols do zagueiro Juan Forlín e dos atacantes Luciano Figueroa e Rodrigo Palacio aos 40 e 45 minutos do primeiro tempo e aos 35 do segundo tempo, respectivamente.

A vitória fez com que Boca subisse ao oitavo lugar na tabela liderada pelo Lanús, com 15 pontos, que sábado derrotou por 2 x 1 o Colón de Santa Fe.

Antes da partida, os "barra bravas" do Boca brigaram entre si em uma praça perto do estádio, baleando uma mulher na perna e deixando outro ferido gravemente por uma pedrada na cabeça. A polícia deteve seis torcedores.

(Reportagem de Luis Ampuero)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.