Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Torcida do Corinthians passa susto, mas dá show em jogo do título

Ansiedade e o silêncio em alguns momentos parecia mais ser uma forma de ajudar o time a se concentrar

Daniel Batista e Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

15 Novembro 2017 | 23h57

Foi sofrido, como o torcedor corintiano gosta, afinal de contas, eles dizem que para o Corinthians tudo é mais sofrido. A virada diante do Fluminense teve como fundo musical o grito que estava entalado na garganta dos pouco mais de 45 mil presentes na arena. Enfim, após o susto, ecoou em Itaquera o “é campeão” e de virada, para ficar ainda mais bonito.

De quarta força a melhor do Brasil: Corinthians é heptacampeão

Um prêmio a uma torcida que não desistiu do time em momento algum durante toda a partida. A ansiedade e o silêncio em alguns momentos parecia mais ser uma forma de ajudar o time a se concentrar do que medo de que o título não fosse conquistado nesta quarta-feira. 

Antes do jogo, uma chuva de selfies, mensagens de otimismo e ansiedade tomaram conta das redes sociais. Nas ruas entorno da Arena, um misto de confiança e desconfiança, afinal de contas, muitos torcedores acham que “cantar vitória antes do tempo” dá azar. Valia tudo para evitar um tropeço. Os portões da Arena abriram para o público por volta das 19h45 e muitos torcedores saíram em disparada para seus lugares, como se quisessem que as horas passassem mais rápidas, para chegar logo o jogo. 

A ansiedade fez com que os cânticos antes da bola rolar fossem tímidos. No momento que o sistema de som anunciou a escalação, Romero e Jô foram os mais aplaudidos. Pouco antes dos jogadores pisarem no gramado, o grito foi de “vamos, vamos Corinthians, essa noite, nós temos que ganhar”. Era uma mistura de aviso e pedido da Fiel Torcida.

Era só ganhar. Fácil, não? Mas o título não podia vir assim, com tanta facilidade. Logo no primeiro minuto, Henrique calou a arena. Demorou para a torcida acordar, após o baque, mas logo a decepção deu lugar à esperança. E os gritos de apoio voltaram firme, mesmo sem a equipe conseguir responder em campo. 

No segundo tempo, tudo mudou e com o personagem preferido dos torcedores. Jô, um torcedor que tem a oportunidade de defender o seu time de coração, marcou os dois gols relâmpagos e fez a arena explodir de alegria e alívio. Era o resultado preciso para o título.

O tempo passava e ninguém se atrevia a comemorar. Nem mesmo os torcedores mais famosos presentes na Arena, como Ronaldo Fenômeno (que comemorou fervorosamente os gols) e o surfista Gabriel Medina. A família do técnico Fábio Carille também esteve presente. Todos esperando a hora certa de comemorar.

Então, coube a Jadson acabar com o sofrimento e marcar o terceiro. Acabou, o grito de “É campeão” virou realidade, em meio a uma arena tomada pela fumaça dos sinalizadores acessos após o terceiro gol. 

Para a festa ficar completa, faltava Danilo. O estádio em peso pediu sua entrada e Carille atendeu. Um momento emocionante na arena. Sem jogar desde o dia 31 de julho do ano passado, por causa de uma grave lesão, o experiente jogador entrou para fazer parte da celebração e dar ainda mais alegria para os corintianos. 

Não faltava mais nada. Vitória de virada, primeiro título conquistado na arena, com Danilo em campo e Jô, o artilheiro e xodó da torcida, fazendo a diferença. Apito final, o hino sendo cantado e a certeza. O Corinthians é o campeão brasileiro e tendo sua torcida como um dos destaques do Brasileiro. 

Mais festa. O Corinthians deverá receber a taça de campeão brasileiro no dia 26, na partida contra o Atlético-MG, pela 37.ª rodada, na Arena. A CBF chegou a cogitar a possibilidade de levar o troféu para o estádio ontem, mas, depois de consultar o Corinthians, desistiu da ideia.

 

Mais conteúdo sobre:
Corinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.