Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Torcida do Corinthians 'poupa' Rodrigo Caio de vaias em Itaquera

Zagueiro do São Paulo recebe abraço do treinador adversário e volta a defender atitude tomada no jogo de ida

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

23 de abril de 2017 | 19h25

O gesto de fair play de Rodrigo Caio, do São Paulo, no clássico com o Corinthians, no Morumbi, rendeu reverências da torcida alvinegra neste domingo, mesmo na arena rival. O público poupou o jogador das vaias e no começo do da partida chegou a aplaudi-lo, como retribuição à decisão do defensor de, no encontro de ida pela semi do Campeonato Paulista, avisar ao árbitro que o cartão dado a Jô estava equivocado.

A decisão do são-paulino movimentou o noticiário da semana e, curiosamente, acabou por 'punir' o São Paulo. Como o cartão amarelo dado a Jô, no domingo anterior, foi cancelado graças ao aviso do zagueiro, o corintiano escapou de ser suspenso, pode atuar na segunda partida da semifinal e abriu o placar no empate por 1 a 1. No confronto anterior, o Corinthians havia vencido por 2 a 0, também com gol do atacante.

"Isso já faz parte do passado. O que eu fiz foi uma pequena coisa, nada demais. Qualquer um poderia ter feito o gol", disse o jogador. Rodrigo Caio evitou falar sobre o gesto nos últimos dias, mas desde antes do jogo na Arena Corinthians já foi cumprimentado pelos rivais. O técnico Fábio Carille procurou o são-paulino, deu um abraço e o cumprimentou pelo ato.

Durante o jogo a torcida corintiana teve como principal alvo das vaias e xingamentos o companheiro de defesa de Rodrigo Caio, o zagueiro Maicon. Já o autor do gesto de fair play recebeu algumas palmas no começo do jogo e ao fim do da partida, quando à beira do gramado deu entrevistas para emissoras de televisão, não foi ofendido pelo público que estava em assentos próximos.

"Ficamos tristes pela eliminação pela forma como foi, com um gol impedido novamente, como foi no Morumbi. Temos que seguir trabalhando. Demos nosso melhor", disse o zagueiro, ao criticar a arbitragem. Como foi eliminado na última semana tanto na Copa do Brasil como no Campeonato Paulista, o São Paulo só volta a campo no dia 11 de maio, quando enfrenta o Defensa y Justicia, pela Copa Sul-Americana.

O goleiro Renan Ribeiro negou que o gesto do zagueiro tenha repercutido mal no elenco. "Ele é um jogador excelente, nível de seleção. A decisão é dele e o grupo está fechado", afirmou. O São Paulo ganha folga após a eliminação e só volta aos treinos na tarde de quarta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.