Arquivo/AE
Arquivo/AE

Torcida do Grêmio já pressiona Caio Júnior e começa a falar em Luxemburgo no Olímpico

Treinador ainda não deu padrão ao time e se classificou no Campeonato Gaúcho em quarto lugar apenas

estadão.com.br

19 de fevereiro de 2012 | 17h50

SAO PAULO - A torcida do Grêmio começa a pressionar o técnico Caio Júnior, e já se fala no Olímpico no nome de Vanderlei Luxemburgo, demitido do Flamengo depois de classificar o time para a fase de grupos da Libertadores. A diretoria do clube ainda não pensa em dar ouvidos para os torcedores e continua apostando no treinador. Ocorre que a derrota sábado do Grêmio para o São José, pelo Estadual Gaúcho, repercutiu muito mal no Olímpico.

O máximo que os comandantes gremistas admitem nesse momento é a pressão da torcida pela troca de técnico. Caio Júnior ainda está em fase de avaliação no clube. O treinador pediu tempo para ajeitar o Grêmio. A diretoria entende que mudar de comando nesse momento, ainda em fevereiro, é cedo, de fato. Mas não pretende deixar que o time derrape em jogos considerados fáceis.

Caio Júnior se defende: "Não se costuma dar tempo ao técnicos, mas o Grêmio precisa planejar uma equipe para o momento e para o futuro. Eu ainda não tenho um time definido. Estou trabalhando com as dificuldades. E ainda há jogadores chegando", disse o treinador após a derrota sábado.

 

Seu aproveitamento no Gauchão é apenas razoável. De oito jogos, o Grêmio perdeu três e empatou um. Mesmo assim, garantiu vaga para fase seguinte da competição - em quarto lugar, atrás de Novo Hamburgo, Caxias e Veranópolis.

LUXEMBURGO

Não é somente a torcida que assopra o nome de Luxemburgo no Olímpico. Parte da diretoria do clube começa a ventilar a possibioidade de o treinador assumir o cargo. Luxa está no mercado. Nesta quarta-feira, tem Gre-Nal e é sabido no Sul que as diretorias dos dois rivais costumam tomar decisões após o clássico. 

Tudo o que sabemos sobre:
GrêmioLuxemburgo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.