Torcida do Inter faz festa de campeão

Mesmo com a derrota de 1 a 0 para o Coritiba, neste domingo à tarde, a torcida do Inter comemorou o título do Campeonato Brasileiro, em Porto Alegre (RS). E o motivo foi a liminar concedida ao advogado Leandro Konrad Konflanz, na madrugada de domingo, que anulou a repetição dos 11 jogos apitados pelo ex-árbitro Edílson Pereira de Carvalho.Por isso, a avenida Goethe, no bairro Moinhos de Vento, tradicional reduto de comemorações de Grêmio e Inter, foi tomada por aproximadamente dois mil torcedores colorados que, sem parar gritavam "é campeão, "é campeão", amparados pelo número de pontos obtidos por Inter (78) e Corinthians (77) - sem a anulação das partidas apitadas por Edílson: "É claro que a comemoração não é total porque perdemos o jogo. Mas dentro do campo, sem maracutaias, o campeão é o Inter. Vou comemorar mesmo assim", disse o inflamado estudante José Luiz Simões, de 18 anos, com duas latas de cerveja na mão. O mesmo pensamento tinha o comerciário Marlon Silva Mendonça, 24 anos, que assistiu o jogo contra o Coritiba num dos vários bares da avenida, que tinham televisores sintonizados no jogo: "O melhor seria ganhar a partida, mas se não deu, vamos comemorar igual, pois o tribunal, na noite passada, nos deu a garantia de que o Inter é o campeão". Mais contidas que a maioria dos demais torcedores, estavam as amigas Silvana Corrêa e Isabela Maia, ambas de 25 anos: "Viemos ver o jogo aqui porque moramos perto. Somos coloradas, mas comemorar um jogo em que o Inter perdeu, não tem graça nenhuma", desabafou a decepcionada Silvana. "Está certo que o tribunal deu vitória para o nosso time, mas ganhar assim não tem graça nenhuma", emendou, já pagando a conta de R$ 5 por duas latas de cerveja e se retirando do bar, que uma hora após o jogo, já estava lotado de torcedores. Mas, no meio da euforia da maioria dos torcedores, tinha um que se destacava pela maneira como o Inter enfrentou o Coritiba, no Paraná. O representante comercial Mário Carlos Pereira, de 31 anos, não conseguia se entusiasmar com a comemoração dos demais colorados: "Jogando como jogou contra o Coritiba, não tinha como vencer mesmo. O time jogou mal e conseguiu perder para uma equipe ruim sem esboçar reação nenhuma. Pelo jogo não merecíamos o título. Para disputar a Libertadores da América, tem que melhorar muito".

Agencia Estado,

04 de dezembro de 2005 | 21h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.